13º Congresso da FORL em Goiânia (GO): Como foi

Cheguei no congresso já na sexta-feira, penúltimo dia. Como eu nunca tinha estado num congresso de fonoaudiologia, não sabia que o penúltimo dia é o último dia, na verdade. Porque no sábado, todo mundo já foi embora hihihi

Coloquei meu livro a venda no stand da Politec Saúde, que gentilmente ofereceu espaço para isso.

O engraçado era a abordagem da maioria das pessoas. Elas achavam que eu escrevia sobre surdez  e não que eu própria sou surda e implantada. E ficavam chocadas de descobrir que uso o implante bilateral. Era uma coisa de ouvir “Uau, sério? Você escreve sobre o implante e é usuária?”. E quem, melhor que um usuário para falar sobre o assunto, né?

Mas, admito que fui muito mais acolhida do que esperava. Conheci várias fonos maravilhosas. Três delas do Rio Grande do Sul, todas completamente apaixonadas pelo IC. Três fonos que vieram do Centrinho de Bauru (e continuo sonhando em conhecer o Centrinho, porque até agora não surgiu a oportunidade). E até o famoso Franzé, fonoaudiólogo da equipe do Rio de Janeiro.

Fga. Jaqueline Moretto

Fga. Jaqueline Moretto

Dei uma rápida entrevista de rádio – nem sei o nome da radialista, da emissora ou do programa, porque esqueci, minha memória não está mais retendo tanta informação – e praticamente fiz a moça chorar, enquanto conversavamos informalmente, para ela saber se valia ou não a pena me entrevistar. Tudo porque falei que o IC foi meu bilhete de volta para casa, depois de uma longa viagem pelo deserto silencioso da surdez. E que eu adoro ouvir de tudo, adoro ter tido essa oportunidade de retornar ao mundo sonoro.

Na sexta, também realizei um sonho de tiete: tive oportunidade de conhecer o famosíssimo Dr. Orozimbo Costa, pioneiro do Implante Coclear no Brasil. Como sou uma pessoa muito tímida, não tive cara de pau de chegar chegando pra pedir pra tirar foto. Mas, nada que bons contatos não ajudem (obrigada, Alexandre Lopes!) e consegui minha foto, pois o Dr. Orozimbo é de uma simpatia absoluta, assim como seu filho, Dr. Lucas Costa.

Tietando Dr. Orozimbo Costa

Tietando Dr. Orozimbo Costa

Coloquei nossa foto no facebook e teve mais de 350 curtidas, porque todas as pessoas que conheço, conhecem esse doutor hihihi Até minha fono de adolescência, foi aluna dele e da esposa, Fga. Maria Cecília Bevilacqua (in memoriam).

No dia seguinte, sábado, foi minha palestra. Infelizmente, estava super vazia, porque como expliquei, todo mundo foi embora na sexta ou no sábado de manhã. Uma pena, porque eu tinha preparado uma apresentação maravilhosa… Mas, faz parte. Aos poucos que estiveram lá, dediquei todo o meu carinho, com histórias divertidas sobre o quanto a surdez e o implante foram decisivos na minha vida.

Pude ver as reações da platéia: ficaram encantadas com minhas alegrias, sensibilizadas com meus relatos de momentos difíceis, deslumbradas com um trechinho do meu vídeo no TEDx. Riram e choraram junto comigo. Até o pessoal do apoio de sala, que só estava assistindo porque era parte do trabalho deles hihihi

Com Frga. Nailma Arraes, mãe da Bianca Arraes, implantada desde os 4 anos, hoje adulta.

Com Frga. Nailma Arraes, mãe da Bianca Arraes, implantada desde os 4 anos, hoje adulta.

A verdade é que foi mais uma aventura divertida, do que trabalho…

Como sempre costumo sentir com tudo o que se refere ao IC. Vem do fundo do coração e reflete na alma…

Beijinhos sonoros,

Lak

p.s. tive também o prazer de rever a Fga. Raquel Stuchi, que foi uma das pessoas mais importantes para me incentivar a fazer a cirurgia de implante coclear.

Com Fga. Raquel Stuchi

Com Fga. Raquel Stuchi