Adaptando-se ao Implante Coclear (parte 3)

camaleao3Nas semanas anteriores contei sobre as adaptações físicas e sensoriais que garantem uma boa reabilitação auditiva após uma cirurgia de Implante Coclear. Se você perdeu, leia aqui a parte 1 e a parte 2.

Porém não podemos nos esquecer das adaptações psicológicas que acompanham este processo.

Muitos implantados adultos comentam que ficaram decepcionados nos primeiros dias após a ativação, porque esperavam um som natural e compreensível, mas se depararam com um som metálico e difícil de discriminar.

A verdade é que são bem poucas as pessoas que gostam do som do implante coclear desde o momento da ativação. Mas, com paciência, boa vontade, determinação e novos mapeamentos, o som vai melhorando, na medida que o cérebro vai se adaptando a condição de ouvir através do implante coclear.

No caso de crianças, essa expectativa é muito mais dos pais, pois a criança não tem plena percepção do que está acontecendo. A dica, nesse caso, é evitar expectativas muito grandes ou comparações com outros casos de implante coclear. Cada criança tem seu tempo e muitas levam algumas semanas para demonstrar visivelmente que estão ouvindo.

Mas, independente da idade do usuário, é importante sempre levar em consideração que cada ser humano é único e, exatamente por causa dessa singularidade, as reações diante da descoberta ou redescoberta de sons serão igualmente únicas. Ficar extremamente emocionado ou absolutamente indiferente é normal. Gostar de um ou outro som mais do da maioria, também é comum. Quase tudo pode ser considerado “normal” dentro da experiência de utilizar o implante coclear. Só não é normal sentir dor, desconforto ou não querer usar o aparelho nunca.

Costumo dizer: o silêncio já era garantido. Por mais estranho que seja o som no começo, ele é o passo inicial de uma jornada maravilhosa de reencontro ao universo sonoro. É apenas preciso um pouco de paciência e coragem, para que a poesia sonora seja capaz de nos conquistar.

Beijinhos sonoros,

Lak

5 palpites

  1. Marta Gil disse:

    Texto excelente – a cereja (ou o Sapoticon) vai pro último parágrafo, em minha opinião 🙂 🙂

  2. Ligya Lima disse:

    Alguém sentiu dores de cabeça depois de alguns anos com Implante Coclear? achei que fosse o imã e modifiquei o mesmo para o número 1, porém as dores persistem, principalmente a noite.

  3. Valeska Matiello disse:

    Paciência e Coragem tomemos doses diárias e uma coisa que eu estava fazendo más não mais farei é ficar sem usar , pois somente eu poderei fazer isso !!! Ninguém fará no meu lugar <3 .