Como funciona o processo do implante coclear

Se você (ou alguém da sua família) está cogitando em realizar a cirurgia de implante coclear, milhões de dúvidas devem estar pipocando na sua mente. Provavelmente, entre elas, está a dúvida dos passos que envolve o processo pré, durante e pós-cirúrgico. Especialmente pensando em quem está nessa fase do processo ou por alguma razão tem curiosidade de saber como funciona nossa caminhada através do maravilhoso mundo do implante coclear, preparamos aqui no DNO um guia ilustrado:

Diagnóstico

Indicações

  • Logo após o diagnóstico em bebês, o acesso precoce às ferramentas de comunicação são fundamentais;
  • Adaptação com aparelho auditivo (AASI);
  • Quando diagnosticada surdez severa ou profunda, as informações sobre tratamentos disponíveis deve incluir o implante coclear;
  • Abordagem sobre as opções de tratamento disponíveis (SUS e convênios).

Avaliação

  • No SUS, o paciente será incluído numa fila e será avaliado por diversos profissionais;
  • É necessário avaliação por uma equipe multidisciplinar, que inclui otorrinolaringologista, fonoaudiólogo, psicólogo e assistente social;
  • Nos planos de saúde, o médico irá enviar um laudo ao convênio do paciente e aguardará a resposta;
  • Orientações devem incluir falar das expectativas.

Decisão Compartilhada com a Família

  • A decisão pela cirurgia deve ser feita em comum acordo entre a família/paciente e a equipe;
  • É indicado conversar com outras famílias ou usuários;
  • Escolher entre implante unilateral (e qual orelha) ou bilateral simultâneo;
  • Escolha do modelo/marca do implante coclear (pelo SUS nem sempre é possível).

A Cirurgia

  • A cirurgia é feita por cirurgiões e equipe qualificados;
  • A família deve ser orientada sobre cuidados pré e pós-cirúrgicos;
  • Informações sobre técnicas e equipamentos que previnem efeitos colaterais;
  • Ainda na sala de cirurgia, é feita uma telemetria para avaliar o funcionamento dos eletrodos.

Ativação e Primeiros Ajustes

  • Expectativas devem ser trabalhadas para a ativação, que nem sempre é emocionante como nos vídeos espalhados na internet;
  • Preparar-se para não ouvir nada ou ouvir sons completamente novos e inesperado;
  • Bebês podem rir, chorar, ficar com medo ou até não ter reação nenhuma, mas essas reações não indicam o sucesso ou fracasso do implante;
  • Para implantados unilaterais, considerar o uso de aparelho auditivo (AASI) no lado não-implantado.

Aprendendo a Ouvir Através do Implante Coclear

  • Persistência e apoio da família são a chave!
  • Conversar com outros usuários e famílias faz diferença nesta etapa;
  • Crianças em fase escolar precisam de apoio da escola, que deve ser informada sobre a tecnologia que a criança utiliza para ouvir e qual o estágio da audição dela.
  • A reabilitação auditiva é necessária tanto para crianças, quanto adultos para desenvolver uma audição de qualidade;
  • A fonoterapia pode fazer muita diferença para desenvolver melhor a fala.

Suporte Permanente e Manutenção

  • O progresso deve ser monitorado por profissionais especializados;
  • Mapeamentos periódicos são mensais inicialmente e passam a ser trimestrais, semestrais e por fim anuais, mas serão importantes por toda a vida;
  • Manutenção (check-up e consertos) deve ser feita sempre por assistência técnica autorizada;
  • Uso de acessórios potencializam o implante coclear: Sistema FM, True Wireless, acessórios Bluetooth, etc;
  • Estar preparado para eventuais upgrades ao longo a vida;
  • O implante é feito para durar a vida toda, mas um usuário deve considerar sempre a possibilidade de um reimplante, se necessário. Tecnologias também podem falhar.

Beijinhos sonoros,
Lak Lobato