Como potencializar o aprendizado de usuário de Implante Coclear em sala de aula

escolaVocê (ou seu filho) utiliza implante coclear (ou outra tecnologia auditiva) e tem dúvidas de como poderia deixar sua experiência em sala de aula mais proveitosa.

Em vez de pensar em como a deficiência auditiva complica a sua (ou do seu filho) experiência educacional, tenhamos em mente de que vivemos numa era onde acessibilidade e inclusão são reais – pelo menos em teoria – e há muitas alternativas que podem ser utilizadas para melhorar o potencial de aprendizado em sala de aula.

Como existe mais de um tipo de barreira de comunicação, segue uma lista de diversas opções de ferramentas que podem ajudar a contornar esses obstáculos, para um aluno com deficiência auditiva poder extrair o máximo do aprendizado em uma aula.

Sistema FM – a maior dificuldade que um usuário de prótese ou implante auditivo tem em sala de aula é conseguir ouvir bem o professor, com todos os ruídos ambientes que competem com a voz dele. Como por exemplo: eco e reverberações, vozes dos outros alunos, barulho das outras salas, ruídos do trânsito próximo à sala, etc. Para isso, existe um acessório bastante conhecido chamado Sistema de Frequência Modulada. Basicamente, é um transmissor de som em frequência fechada, formado por duas partes: um transmissor (microfone, que fica com quem está dando a aula/palestra) e um receptor (que fica acoplado no aparelho/implante da pessoa). O que ele faz é colocar a voz da pessoa que fala no transmissor mais alta que o ruído ambiente, permitindo que o usuário de uma tecnologia auditiva ouça melhor o professor ou palestrante.

ROGER – É um sistema similar ao FM, mas que utiliza uma tecnologia wireless 2.4 GHz e que, por ser digital, tem um som mais puro, claro e com maior alcance que o FM tradicional. É compatível com as mesmas próteses auditivas que podem utilizar o Sistema FM.

Mini Mic – Sistema de transmissão direta de som, assim como o Sistema FM, só com conexão digital via wireless. A vantagem sobre os demais sistemas é que, neste caso, a transmissão não gera chiados nem ocorre perda de frequência, comum em outros acessórios com esse tipo de transmissão. Atualmente, é exclusivo para o aparelho Nucleus 6 da Cochlear. Da minha experiência pessoal, percebi que o microfone é extremamente sensível e dá para ouvir até a respiração da pessoa que fica com o microfone! A bateria dura 8 horas e não é necessário um receptor acoplado ao aparelho do usuário.

Aro Magnético – Supondo que você (ou o seu filho) estude numa escola ou universidade maravilhosa, que possui vários alunos com deficiência auditiva que frequentam uma determinada sala e que prefiram adaptar a sala aos usuários de próteses auditivas convencionais ou implantáveis. O que poderia ser feito? Instalar um transmissor maior para mandar o som diretamente para todos os usuários de próteses auditivas. Funciona da mesma forma que os outros sistemas de transmissão de som: através de um microfone e de um receptor. No caso, o receptor é a Telebobina (ou telecoil) que a maioria dos aparelhos e implantes costumam ter (tecla T). O Aro Magnético serve para converter o som da fonte principal transmitida através do microfone, numa frequência específica que será devidamente captada por quem estiver com a telebobina ativada, eliminando os ruídos ambientes. Aqui no Brasil é pouquíssimo conhecido e raro de encontrar, mas nos EUA e Europa já é amplamente utilizado.

Professor de Apoio – Muito indicado para crianças em idade de alfabetização, o professor de apoio é um auxiliar que trabalha junto com a criança, durante todo o período em que ela estiver em sala de aula. Ele pode auxiliar na tradução do conteúdo dado pelo professor principal, pode atuar no reforço da matéria proposta, pode ajudar na interpretação de texto, etc. Geralmente, pode ser solicitado nas escolas (principalmente as escolas municipais e estaduais) e acompanha o aluno por todo o período escolar.

Intérprete de Libras – Indicado para qualquer criança, adolescente e adulto que tenha ou queria ter fluência na língua de sinais. O intérprete traduz todo o conteúdo falado/escrito na lousa pelo professor para a língua de sinais, de modo que fique 100% compreensível e acessível para o aluno. Ele também faz a tradução inversa, ajudando o aluno a se expressar em sala de aula É um direito garantido por lei e que pode ser solicitado na secretaria da escola/universidade, conforme a necessidade. Muitas vezes, é oferecido sem que seja necessário solicitação prévia.

Intérprete Oralista – Tem a mesma função do intérprete de sinais, com a diferença da interpretação ser feita de forma oral e em português. Já tive experiência com esse tipo de intérprete e admito que eles ajudam demais na compreensão completa do que é falado no ambiente. Esse é o mais indicado (além do professor de apoio) para quem utiliza apenas a leitura labial como forma de comunicação.

Uma opção também válida: ensino à distância com aulas legendadas também pode ser uma excelente opção para quem já passou do período de alfabetização, né? Basta procurar algum estabelecimento que tenha essa opção de aulas disponíveis ou pedir para que a sua universidade ofereça esse serviço.

Beijinhos sonoros,

Lak

14 palpites

  1. soramires disse:

    ótimas dicas, vai servir até para escolas que não sabem como se adaptar, e é claro para surdos ou pais de crianças surdas…

  2. ótimas dicas, vai servir até para escolas que não sabem como se adaptar, e é claro para surdos ou pais de crianças surdas…

  3. Lina Meira Lina Meira disse:

    Aqui o Leo usa o FM, e também tem o professor auxiliar, tem ajudado muito ele, e esse ano vai ser mais primordial ainda, Pq vai começar a alfabetização 😀

    • Joana disse:

      Oiiii!!!! Tudo bem? Tenho uma pequetita usuária de AASI!!! Ela tem 4 anos! Seu filho tem professor auxiliar em rede pública ou privada? Não sei se é possível
      Solicitar na rede privada… E tbm se tenho esse direito na educação infantil (1 período). Obrigada! Bjs

    • Lak Lobato disse:

      Não tenho filhos. Mas sei que é possível – embora não seja fácil nem todo mundo que consiga – professor auxiliar tanto em escola publica (que é mais fácil de conseguir) quanto em escola privada. Você deve solicitar, com um laudo médico/fonoaudiogico que expliquem a condição dos eu filho, na secretaria de educação da sua cidade/estado.

  4. Ana disse:

    Legendas em video aulas e materiais escritos também são excelentes ferramentas de estudo!

    • Lak Lobato disse:

      Video aulas legendadas entra no item educação a distância. Material transcrito é uma excelente dica. Seja pela boa vontade dos professores, seja por um profissional de estenotipia. Mas prefiro nem citar isso, porque boa vontade dos professores para entregar material impresso tem que partir deles. Pedir é quase uma ofensa. E estenotipia, acabo me estressando quando falo disso, porque o povo ainda não entendeu que é necessário um profissional formado e qualificado para isso, carissimo e que nenhuma universidade se dispõe a pagar por aqui. Acham que é um software. Pode até ser que futuramente existe algo capaz disso, mas no momento, ainda é necessário mão de obra humana. Enfim… Beijos e obrigada pela contribuição.

  5. Prô Kellyn Sposito!!

  6. Luísa, ótimas dicas! Curte aí! Bj

  7. Maria Clara P. Marques de Lima, lembrei de você amiga! Bjos

  8. VALERIA ALVES DE DEUS SANTOS disse:

    Oi eu sou mãe da Lara implantada a 4 anos, e estou tento dificuldades na escola, pois por lei o município só disponibiliza um interprete de Libras, o que alegam ne, e a minha filha esta tendo muita dificuldade em interpretar o que se lê, tem algum lugar onde posso me informar melhor sobre o apoio na sala de aula ainda estou leiga neste assunto, gostaria da sua ajuda! obrigada!