Dúvidas comuns de ouvintes ao conhecer um surdo oralizado

Respostas incríveis que a gente ouve, logo que acaba de comentar que é surdo oralizado.


1. Mas, como assim você fala?

Com a boca, oras. Nem todo surdo é mudo. Uma boa parte aprendeu a falar por terapia com fonoaudióloga desde cedo, alguns até usam tecnologias auditivas. E outros perderam a audição depois de aprender a falar normalmente. E continuam falando depois de perder a audição.


2. Poxa, que legal. Mas como vou falar com você se eu não faço gestos?


Exatamente do jeito que você está me dando essa respostas fantástica. A gente não estava conversando de boa até agora?


3. Por que você fica olhando pra minha boca o tempo todo? Você está me paquerando?

É, a gente sabe que um dos sinais que a leitura corporal considera como interesse romântico olhar muito para os lábios de alguém. Acontece que essas “regras de conduta” são feitas em cima de ouvintes. Eu leio lábios, preciso olhar para os seus lábios para entender o que você diz, só isso. Não estou afim de você.


4. Ah, então você não é surdo! Você ouve. Surdo é mudo.

Olha, é verdade que há muitos surdos que falam através da língua de sinais. Só que nenhum deles é mudo. Mudez seria incapacidade física de falar, o que não é o caso deles. Eles apenas não aprenderam a falar. Mas, o fato de eu falar, não significa que eu ouça, justamente porque são funções independentes do corpo.


5. Mas por que você fala desse jeito?

Porque a falta de feedback auditivo e/ou o aprendizado mecânico de quem tem baixa audição muda os pontos articulatórios da língua, inclusive porque o controle de volume de voz é feito de maneira táctil. Quer dizer, eu poderia te dar uma sobre fonética, mas duvido que você se interesse. Só importa que entenda que minha voz é assim, justamente porque eu tenho deficiência auditiva.


6. Deve ser muito difícil fazer leitura labial.

Provavelmente seria para você, se você estivesse no meu lugar. Porém, meu cérebro interpreta a leitura labial como a alternativa possível para a comunicação. E, não sei se você sabe, somos máquinas programadas para sobreviver. Escolher entre o fácil e o difícil é para quem tem alternativas. No meu caso, meu cérebro faz o que é possível e acha ótimo, obrigada pela preocupação.


7. Acho que no seu lugar, eu iria preferir aprender Língua de Sinais.

Mas o que te impede? Você pode aprender mesmo sendo ouvinte. Garanto que vai se divertir bastante e aprender (mais) uma língua bacana. Só que eu prefiro a língua portuguesa, posso? Ou só você tem o direito de escolha?


8. Acho que no seu lugar eu me mataria.

Ok, já entendi que você não gostaria de estar no meu lugar. Mas não precisa apelar para a indelicadeza e me dar autorização para me matar. Eu estou bem sendo surda oralizada, obrigada.


Tem coisas que a gente entende, porque são dúvidas comuns ou simples confusão. Mas tem algumas coisas que as pessoas poderiam ter um pouquinho de bom senso na hora de comentar hihihi

Beijinhos sonoros

Lak Lobato

%d blogueiros gostam disto: