Implante Coclear antes dos 2 anos de idade

bebe

Esses dias, foi publicado um texto no site da Fundação Carlos Slim Salud (México) falando sobre o implante coclear antes dos 2 anos de idade ser um dos possíveis fatores decisivos para restaurar a função auditiva em crianças. Quem quiser ler a matéria (em espanhol) na íntegra: Fundação Carlos Slim.

Obviamente, eu não sou médica nem fono e meu conhecimento é de leigo, mas pelo que já li a respeito, quanto mais cedo foi feito o diagnóstico da surdez – através da Triagem Auditiva Neonatal –  mais cedo a intervenção auditiva poderá ser feita de forma adequada. E, quando houver possibilidade para o Implante Coclear, quanto mais cedo feito, melhores os resultados.

Porém, não são todos os casos de surdez que tem diagnóstico para implante coclear. Uma cóclea malformada, por exemplo, não garante pleno desenvolvimento do IC. Por isso, é sempre importante um diagnóstico feito de forma realista, por uma equipe multidisciplinar qualificada para fechar esse diagnóstico.

Além do mais, a intervenção começa mesmo antes da cirurgia. A criança recebe próteses auditivas, para se acostumar com possíveis barulhos que ouvirá (mesmo que sejam muito baixinhos), com a possibilidade de ficar com um aparelho preso na orelha e, principalmente, estimular o nervo auditivo o mais cedo possível. E estimulação com fonoterapia desde cedo, para adaptar-se ao aparelho e aguardar a cirurgia, já sendo preparada para responder à estímulos sonoros, pode ser feita desde os mais tenros meses.

A cirurgia em si, mesmo que precoce, não é a única necessidade para o desenvolvimento auditivo da criança. Será necessário continuar (e a até aumentar o número de sessões semanais) da terapia auditiva. E muito trabalho em casa, devidamente orientados por um profissional competente, mas reproduzido diariamente por aquelas pessoas que estão junto com a criança com mais frequência que uma fonoaudióloga.

Mapeamentos regulares nos primeiros anos também são uma regra. Crianças não participam dos ajustes dos aparelhos, portanto, precisam de mapeamentos com maior frequência que adultos, que opinam, reclamam e dão palpites durante os mapeamentos.

E, tão importante quanto todo esse processo, é o comportamento da família com a criança e para com o aparelho. Se a família incentiva a criança a se desenvolver, se estimula a interação dela com o aparelho, se não se envergonha da deficiência dela, nem permite que ela se sinta constrangida por ser diferente e utilizar uma prótese visível, tudo isso pode ser um ponto chave no desenvolvimento auditivo da criança.

É claro que incluir ou não a LIBRAS durante esse processo é uma decisão de foro familiar. Em alguns casos pode ser absolutamente necessário, em outros nem tanto. Mas, se a família quiser aprender, é um direito que assiste a ela. A LIBRAS pode ser um excelente parceiro do implante coclear. Mas, não é obrigatória, tanto quanto o implante coclear não é. Fica a escolha, de acordo com as necessidades de cada criança. O que não se pode deixar é uma criança sem comunicação.

A maioria dos bebês implantados cedo costumam, não apenas ter uma excelente percepção auditiva, como a qualidade de suas vozes é muito superior a todos os outros surdos e implantados. Mas, claro, depende do caso.

Fica a critério dos pais decidir pelo IC nesta faixa etária. A única recomendação é não deixarem de fazer o teste da orelhinha nos primeiros 6 meses de vida da criança, para que ela seja estimulada de alguma forma.

Beijinhos sonoros,

Lak

8 palpites

  1. Lina Meira Lina Meira disse:

    Aqui mesmo feito aos 3 anos.. Tudo deu certo, Leo está totalmente oralizado… Mas sempre penso que se o ic tivesse sido feito antes… Ele estaria melhor ainda, então acho que quando o diagnóstico for favorável ao ic, que os pais no pensem duas vezes,pq com certeza o resultado será muito bom!

    • Lina e quantos anos ele tem hj?

    • Lina Meira Lina Meira disse:

      Débora Antonon,Hj ele está com 5 anos e 11 meses

    • Ai Lina Meira… meu pequeno está com quase dois anos de ativação e com 4 anos e 8 meses de idade. Balbucia muito, compreende um pouco; fala papai e mamãe, mas vejo pouco progresso ainda. Já desabafei várias vezes no grupo. Ele faz fono 3 vezes na semana… Ainda me agarro na fé.

    • Lina Meira Lina Meira disse:

      Olha Débora Antonon..o Leo ficou no balbucio, e nas palavras soltas por mais ou menos 1 ano e.meio de ic… Parece que estava armazenando dados, kk
      Depois deslanchou a falar, e do começo do ano pra cá começou a formar frases, Hj ele já consegue manter diálogo com a gente dentro do entendimento dele.
      Mas a compreensão veio bem antes da fala, me preocupei muito com.isso, com a compreensão, não com a fala, pq foi o que as fonos me passaram,parece que essa ansiedade pela fala atrapalha tanto nós como eles.
      Então procure ver se a compreensão dele está boa, se ele compreende o que escuta, aqui também sempre usei muita figura junto com.a linguagem na terapia dele.. Isso ajuda muito, usar o visual,
      Como o Leo ama tablet, baixei aplicativos educativo que uniam a imagem com os sons, me ajudou muito também…
      Mas cada criança tem um desenvolvimento, seu tempo..
      Quando vc menos esperar ele vai te surpreender..

  2. Nós descobrimos a surdez do nosso bebê com 4 para 5 meses, ele está com 6 meses usando o AASI e nós estamos esperando ansiosamente pelos ICs que devem ser implantados, bilaterais, no ano que vem. O primeiro teste da orelhinha dele já indicava a surdez, mas nós demoramos alguns meses para fazer o diagnóstico porque existe pouca informação dos médicos quanto ao teste e nós não tínhamos contato com nenhum caso de bebês que nasceram surdos. Ainda bem que fizemos o diagnóstico e já estamos no protocolo com muita esperança e admiração por essa tecnologia! Lak, seus temas são sempre pertinentes e muito inspiradores para os novatos na tecnologia do IC. Obrigada!

  3. Luciana Lopes Luciana Lopes disse:

    Verdadr,quanto mais cedo,melhor,minha Júlia fez com um ano e seis meses,hoje esta totalmente oralizada,fala tudo perfeitamente,e o dela foi so de um lado.

  4. Suzana Borba Suzana Borba disse:

    Lina, meu filho fez a cirurgia com 2 anos e 8 meses, fez em setembro mas ainda não saiu nenhuma palavra, e demorado assim mesmo, estou tão ansiosa.