O Implante Coclear Bilateral

generico5Anos atrás, quando comecei a procurar informações sobre o implante coclear, ninguém que eu conhecia usava implante coclear nas duas orelhas. O normal era usar implante coclear numa orelha e AASI (aparelho de amplificação sonora individual) na outra. E a pessoa logo explicava que uma das cócleas estava sendo preservada para uma tecnologia futura. Então, tudo bem, a gente aprendia que IC se usava num ouvido só e a vida seguia.

Mas, logo que fiz o IC, já começava a ouvir falar dos (raros) casos de implante bilateral. Então já saí da cirurgia com a idéia que faria o bilateral. Lembro que  durante a convalescência, fui levar meus aparelhos auditivos para consertar (eu usava AASI retroauricular nas duas orelhas, também pretos, porque sempre fui ligada a essa questão de cor de prótese), a fono que fazia a manutenção me perguntou – meio que torcendo o nariz – se eu tinha achado legal implantar “porque ela tinha ouvido falar que a maioria odiava o implante”. Respondi que tinha amado (e eu nem tinha ativado ainda) e pensava em fazer o bilateral logo mais.

Não sei se eu realmente pensava nisso, mas algo em mim já tinha sido ativado nessa questão de defender o IC dos preconceitos.

Tempos depois, ativei o IC – como vocês sabem, meu resultado ficou aquém dos esperado, por ter cóclea fibrosa que não permitiu a completa e perfeita inserção do feixe de eletrodos – e comecei a fazer fonoterapia para estimular a discriminação auditiva.

Quis que na época, eu tenha caído nas mãos de uma fonoaudióloga especializada em implantados (vantagens de morar em São Paulo, porque sei que muita gente não achou esse tipo de profissional até hoje) e a Aline sempre sugeria o IC do lado direito, porque achava que eu tinha todo o potencial para ter um resultado melhor com o bilateral.

E foi assim que 3 anos depois de fazer a primeira cirurgia, encarei um segundo round e fiz o IC bilateral.

Embora eu saiba que meu caso não é dos mais comuns, porque eu tenho um resultado inacreditavelmente superior com o segundo IC (é mais comum é o primeiro ter resultado melhor que o segundo), eu passei a conversar com muita gente sobre os resultados do bilateral e percebi os seguintes pontos:

  • Com o bilateral, a localização sonora melhora. Embora haja usuários que relatem perfeita localização sonora com a bimodalidade IC + AASI, nem todo mundo tem resultado minimamente favorável com o AASI que permita isso. Daí, o uso de IC + IC ajuda nessa questão.
  • Melhora na compreensão de conversas em ambientes ruidosos. Não é simplesmente que dois ICs captem melhor o barulho e a fala do que um IC só, mas que o cérebro, tendo duas fontes sonoras, consegue separar melhor o ruído ambiente da fala principal que interessa. Uma razão pela qual temos duas orelhas e não só uma.
  • SEGURANÇA. Falar sobre as questão da segurança no que se refere a ter dois implantes merecia um texto só para ele. Com dois ICs, podemos relaxar muito mais do que tendo um IC só. Seja porque se a bateria de um lado acaba, a do outro continua e não precisamos ficar em silêncio nem para trocar a bateria. Seja porque se um processador precisa ir para a manutenção, o outro permanece na nossa orelha, nos permitindo ouvir, ainda que um pouco menos.
  • Mais tranquilidade no processamento auditivo do que se ouve e menos estresse no final do dia. Tendo duas fontes sonoras para captar o som, o cérebro faz muito menos esforço do que tendo uma fonte só. Por isso, usuários bilaterais tendem a esforçam menos para entender o que ouve (dependendo do caso, claro). O resultado é que compreender gera menos estresse. A gente se dá conta disso quando, por alguma razão qualquer passamos o dia com um processador só. No final, o cansaço mental é muito maior do que nos dias que ficamos com os dois processadores. Relato lido de vários usuários bilaterais.

Aí você me pergunta: e a questão de preservar a cóclea para uma tecnologia futura?

De coração, eu acredito que as tecnologias futuras serão compatíveis até com quem já utiliza o implante coclear.

Mas, aqui entre nós, para quem passou 23 anos em silêncio, só posso dizer: a vida é agora. Tem momentos que a gente não consegue reviver nunca mais. São vozes de pessoas que partem, são momentos únicos da vida (formatura, casamento, nascimento dos filhos, etc). Preservar a cóclea pode ser importante. Mas, viver a vida plenamente é muito mais. Quem sabe o que o futuro nos reserva?

Mas olha, eu sou a favor do bilateral para quem tem indicação para ele. Tem casos de gente que realmente tem excelente resultado com IC + AASI e para essas pessoas, não tem por que mexer no time que está ganhando. Mas, para quem tem um resultado mais ou menos com o AASI e o IC que faz o trabalho principal, encarar o bilateral pode ser a fonte de uma trilha sonora de vida mais intensa. Quem sabe?

Beijinhos sonoros

Lak

8 palpites

  1. Isso só reforça a minha vontade de fazer o bilateral… Desse ano não passa! 🙏🏻

  2. Por todos os motivos que você enumerou eu optei por fazer o bilateral…. aguardando só a aprovação do convênio que está pra sair essa semana, estou em contagem regressiva.

  3. Lidiane Brito Lidiane Brito disse:

    O Maior vontade de fazer bilateral . Importante é o resultado bom 😊

  4. Ana Henrique Ana Henrique disse:

    Como minha pequena ainda não sabe falar a respeito do assunto, o que ela sabe é que não quer ficar sem um dos ics. Isso só nos reforça a cada dia que nossa escolha está valendo a pena. O que me deixa ainda mais feliz, é ver ela falando para as pessoas que agora ela tem dois “apalelo” preto.

  5. Valdirene Silva disse:

    Ainda nem implantei o primeiro e já decidi fazer o bilateral, mesmo que não seja feito simultâneo. Eu não tenho mais nenhuma audição residual por via aérea, então acredito que o bilateral me dará uma segurança maior (quanto a defeitos principalmente) e acima de tudo, vai me permitir “ouvir pelos 2 ouvidos”, coisa que nem lembro mais como eh a sensação, pois perdi a audição esquerda ha tempos….