Implante Coclear na praia pode?

Implante Coclear na praiaNo auge do verão, essa é uma dúvida que aparece nas redes sociais que debatem o implante coclear: pode ou não pode usar o IC na praia?

A priori, a resposta mais sensata é: não, não pode! A maresia, o sal, o mar, a areia, o suor, tudo isso é prejudicial para qualquer aparelho eletrônico. O que dizer de um aparelho super sensível que é o implante coclear?

Alguns modelos de implante coclear são resistentes à água (consulte o manual do seu), mas isso não quer dizer que são à prova d’água. Processadores resistentes à água aguentam um nível limitado de umidade como respingos e chuva, por exemplo. Porém eles não suportam o uso no banho e muito menos um mergulho.

O ideal é sempre usar os cases de proteção disponível para o seu IC. Algumas marcas e modelos oferecem essa possibilidade.

Tem o Aqua da Cochlear, indicado para os modelos Nucleus 5 e Nucleus 6 com baterias recarregáveis (tendo opções de zip-loc descartável e até um outro modelo mais moderno de silicone e com antena especial), tem o WaterWear para o Rondo da Med-El. Já aos usuários da AB, o modelo Neptune é realmente à prova d’água sem precisar de capinha protetora. Provavelmente, há outros modelos de case protetor ou aparelhos à prova d’água que não me ocorrem agora, mas se alguém quiser complementar, fique a vontade.

Quando isso não for possível, seja pela falta de case protetor, seja por modelos incompatíveis com o case, alguns usuários dão dicas de como procedem na praia: ir com o IC para a praia e ficar com ele, até o primeiro mergulho. Isso permite que o usuário aproveite o barulho do mar um pouco também.

Tem pessoas mais ousadas (inclusive eu, mas faz de conta que vocês não sabem) que até vão na beira do mar molhar o pé, para ouvir um pouco melhor. Mas não é recomendado, porque a maresia não é boa para o processador.

Depois que tiramos o IC, o ideal é dar uma secada no suor com um pano limpo e seco (de preferência, um especialmente reservado para este fim) e guardá-lo em algum lugar impermeável. Pode ser um saco plástico, um zip-loc, um case de levar celular para a praia, etc.

O lado ruim disso é que acontecem muitos roubos na praia e o risco de ficar sem o processador é grande. Por conta dessas limitações, a maioria dos implantados prefere deixar o processador em casa ou no hotel (no cofre ou trancado na mala) e curtir a praia em silêncio. Afinal, já fizemos isso em algum momento e se for para proteger o IC, não faz mal nenhum!

Ah sim, tem alguns que protegem o IC com plástico (mas aí só vale para ICs com boa resistência a água) e colocam sob uma touca de natação, dessas impermeáveis de silicone. Mas aí, cabe a pessoa assumir possíveis danos no processador e encarar ir à praia de touca de natação, hehehehe. Se o aparelho molhar e parar de funcionar, nem sempre a assistência técnica conseguirá resolver o problema.

Seja como for, com ou sem o processador, implantados podem aproveitar a praia tranquilamente. Nada nos impede de ter um dia maravilhoso sob o sol e nadando nas águas do mar!

E lembre-se, sempre leve na viagem o desumidificador (ou pelo menos uma boa quantidade de sílica) e deixe o processador desumidificando após um dia de praia.

Bom verão para todos!

Beijinhos sonoros,

Lak

P.S. Depois de mergulhar no mar, mesmo que o cabelo tenha secado e você tenha saído da praia, não volte a colocar o processador até lavar o cabelo e tirar o sal, que é extremamente corrosivo, heim?!

18 palpites

  1. soramires disse:

    boNS conselhos, afinal próteses auditivas são vUlneráveis ao suor, maresia, umidade, etc…eu sugeri num grupo que levem à praia um estojo pequeno de isopor que além de proteGer dos golpes protege do calor…JÁ VI CAIXINHAS DE ISOPOR BEM PEQUENAS E PRÁTICAS… SEUS CONSELHOS TAMBÉM VALEM PARA QUEM USA APAARELHO AUDITIVO COMUM.

  2. ESSA FOTO ME DEU UMA AFLIÇÃO KKKKKKKK

  3. Em mim tb Sônia M Ramires Almeida kkkkk olhei e pensei comoasssimmm

  4. ainda bem…mas bem realista…kkkkk

  5. Assim q bati o olho levei um susto e fiquei me sentindo super pateta por ter medo da combinação areia+IC hahaha

  6. Eu não uso IC e sim próteses auditivas. O uso dele me afasta do mar e piscina pois necessito OUVIR. Esse tira um pouco para mergulhar e ao voltar, colocar, não deu certo comigo. Já basta suportar o suor….

  7. Alice disse:

    Vc sabe dizer algo sobre mergulho com cilindro? É possível fazer com IC?

    • Lak Lobato disse:

      Depende do modelo de IC e do modelo de case de proteção. Só confirmo sobre os aparelhos da Cochlear, porque são os que tenho informações mais diretas (já que como usuária, eu pergunto muita coisa para os representantes da marca) e até onde soube, o modelo Nucleus 6, com o Acqua+ sim, poderá ser usado para mergulho com cilindro, até 30m de profundidade, por até 2hs. O limite é por causa da parte interna mesmo. Abraços.

  8. Spencer disse:

    Será que existem aasis à prova d’água ou ao menos capas protetoras para eles? Fui à praia semana passada e tive de retirar meus aasis para nadar, o que faço o dia inteiro nessas ocasiões, porém me senti muito inseguro sem eles, mesmo tendo alguma audição para conseguir me comunicar..

  9. spencer disse:

    Lak, muitíssimo obrigado pela ajuda! coincidentemente, o aasi que uso é da phonak (audeo 9). Dei uma olhada nesse que indicou, porém eles indicam esse aparelho para crianças, rs. Se eu não tivesse adquirido o aparelho com o qual estou agora, pensaria sériamente nesse outro que mencionou, da sienens, mas de qualquer forma super obrigado!

    • Lak Lobato disse:

      Pelo que li nos comentários do pessoal, é mais resistência a água que realmente ser à prova d’agua realmente. Mas, existe um aparelho totalmente implantável, o Carina. De repente, é uma opção… Bjs

  10. Alice disse:

    Lak, só p complementar… A AB vai lançar uma case protetora de IC à prova da água que eh o Aqua case! Vai chegar aqui em março! 😉

  11. Roberto Santana disse:

    Prezada Lak,
    Esse Implante Coclear é equivalente ao implante denominado Baha?

    • Lak Lobato disse:

      Não, Roberto. O Implante Coclear é um implante para quem tem perda neurossensorial bilateral de graus severos, profundos e anacusia. É um implante parcialmente inserido dentro da coclea (ouvido médio, daí o nome coclear), que converte sons em impulsos elétricos e reproduz artificialmente a audição. O BAHA é um implante osseo, que usa a vibração do osso, como amplificador de som. Mais indicado para perda condutiva, mista ou unilateral.
      Abraços.