Implante Híbrido

Você já ouviu falar no Implante Híbrido? Basicamente, é um implante coclear que, diferente do tradicional, é indicado para quem tem boa audição residual nas frequências médias e/ou graves. E, por conta dessa boa audição residual, o Implante Coclear não é indicado, sob risco de prejudicar a audição que a pessoa tem naturalmente.

A diferença entre o IC convencional e o híbrido está no fato que o feixe de eletrodos do híbrido é mais curto que o tradicional, estimulando apenas a área de frequências mais altas (sons agudos) que o AASI não consegue ampliar o suficiente, para que o som seja ouvido sem distorções. O implante híbrido também tem uma parte externa, assim como IC comum, mas essa parte inclui também um aparelho convencional que simplesmente amplia os sons graves, estimulando a audição natural, tal como qualquer AASI faz. Ou seja, literalmente uma versão ‘híbrida’ de IC e AASI num mesmo ouvido.

Parte externa do Implante Híbidro: processador e AASI ligados

Parte interna, com feixe de eletrodos mais curto que o convencional

E, como não existe nada melhor que um depoimento de um usuário, para a gente saber mais sobre um determinado aparelho, segue uma entrevista com Reginaldo Pancini Delallibera, o primeiro usuário desse tipo de implante que tive o prazer de conhecer:

1. Fale um pouco de você, de onde você é, qual sua idade, o que você faz da vida.
Eu sou de São João da Boa Vista SP, tenho 30 anos e trabalho como tec. em segurança do trabalho

2. Você nasceu surdo ou perdeu a audição? Com que idade?
Eu nasci com a audição perfeita, até hoje nenhum medico chegou na conclusão do meu problema, o que indica ser meu problema é uma doença auto-imune. Eu perdi a audição no lado esquerdo quando tinha 21 anos. Percebi que estava com um problema porque começou com um barulho (zumbido) no ouvido que não passava. Fui ao medico depois de uma semana, fiz uma audiometria e o resultado foi uma leve perda do lado direito. Passaram-se três meses até que fiz outra audiometria. Dessa vez o exame acusou uma perda bastante significativa. Aí, o médico receitou medicamento.
Três meses depois, fiz mais uma audiometria que indicou mais uma grande perda de audição, passei a ouvir só na freqüência baixa. O lado direito continuava com audição normal, sem perdas. Porém, uns 4 anos depois, tive uma perda no direito, que permaneceu estável por um bom tempo. Em 2009, perdi quase totalmente a audição no ouvido direito.

3. Como é a sua audição natural, antes de ter feito o IC híbrido? Você utilizava aparelho comum? Conseguia ouvir bem com eles? Ouvia música, falava ao telefone, etc?
A minha audição sem aparelho é praticamente nula, eu só escuto os sons grave (baixa freqüência) e a perda está em torno de 70 a 80 dB (as minhas audiometrias recentes ficaram na Unicamp).
Pra você ter uma idéia, não escuto nem um alarme disparado! E já aconteceu de o alarme do meu carro disparar à noite e eu não perceber. Isso porque ele estava bem no lado da minha janela do meu quarto…
Não consigo conversar com uma pessoa no meu lado mesmo numa sala silenciosa.
Até pouco tempo o aparelho ajudava muito, só no telefone que era complicado, mas de resto estava muito bem.

4 Como tomou conhecimento sobre o Implante Coclear? Você chegou a se candidatar ao IC convencional?
Eu já tinha um pouco de conhecimento a respeito do implante, pois pesquisei bastante sobre ele, mas quem me indicou mesmo foi um medico de Campinas.
E na época que comecei a fazer os exames não haviam lançado o IC hibrido.
No meu caso era meio complicado para me canditadar por seguinte motivo: como eu tinha boa audição residual nas frequências baixas e, por isso, eu não me encaixava para o IC convencional, embora houvesse alguns médicos que queriam fazer o convencional.
Mas nisso vai tempo e surgiu o hídrido e um medico que me atendeu logo no inicio que me falou desse implante.

5. Como ficou sabendo do IC híbidro? No que ele é diferente do IC convencional, você sabe?
Olha, foi um medico que me indicou para esse implante, eu não sei ao certo mas eu sou uns dos primeiros a ser feito na Unicamp. Não sei se já foi feito em outro lugar.
A diferença (isso foi que me pararam) seria no próprio (feixe de) eletrodos que vai no coclea. Outra diferença que recebo som tanto no implante como no ouvido implantado. Se quiser ver mais sobre o modelo do aparelho: http://www.medel.com/int/show/index/id/86/titel/EAS e http://www.medel.com/int/show/index/id/63/title/Types+of+Hearing+Loss#sensorineural-hearing-loss(vídeos nesta página)

6. Teve dúvidas antes de decidir quanto a cirurgia? Se sim, o que você temia?
Eu cheguei numa situação que pensava o seguinte, “pior que está minha audição não fica”. Então não tive muitas duvidas não, fiquei muito feliz quanto fiz o implante.

7. Quais são os resultados do IC híbidro? Demorou para atingí-los? Precisou de fonoterapia para se adaptar à audição através dele?
Olha para essa pergunta ainda não vou ter como responder bem ainda, ele foi ativado há menos de duas semanas. Mas, por hora, está muito bem. Já compreendo a TV (claro que não 100%); vou na missa e já entendo bastante, não fico mais perdido. Só nos lugares com muita gente falando que eu estou apanhando ainda, porque é o seguinte: o som que vem do implante ele é bem diferente do som “acústico“ no hídrido, ele une os dois tipos de sons. Por isso, no começo confunde pra caramba, mas o som deve ser muito melhor do que o convencional tanto é que eu não estou precisando fazer fono.

Reginaldo e sobrinho

Curti pra caramba essa nova versão do implante coclear. E vocês?
Torcendo para que o Implante Híbrido beneficie muita gente!!

 

Beijinhos sonoros,
Lak

24 palpites

  1. Marcelo disse:

    Super interessante essa matéria, obrigado Lak por sempre trazer isso para seus leitores
    E parabéns ao Reginaldo Delallibera por ajudar a divulgar essa nova tecnologia
    Abraços!

    • laklobato disse:

      Pois é, né? Eu admito que só tinha ouvido falar, por alto, a respeito, mas não sabia praticamente nada do funcionamento dele. Agora sei… e vcs tb hahaha
      Beijos

  2. Mariana disse:

    Também curti demais. Quem sabe eu não me candidate? Meu ouvido bom só ‘pega’ frequência baixa… Mas primeiro, quero dar toda atenção ao meu IC lindo, a partir de sexta! 😳

  3. Giseli disse:

    Wow! Isso aí é muito legal! Tipo, eu ainda tenho audição residual no outro ouvido e nunca pensei em fazer implante coclear nele, justamente por não querer perder a audição residual. Mas esse implante híbrido eu topava! 😀

  4. Mariana disse:

    Que massa! Isso sim é uma novidade! =)
    Acho que esse é pro meu caso já que não me candidato com o IC mesmo.
    Mas uma parte de mim quer esperar o tratamento de celular tronco.
    Talvez mais pra frente surja alguma tecnologia melhores.

  5. Deni disse:

    Fazendo um trocadilho: “E assim caminha a tecnologia…”
    Legal saber que sempre há um modo para um ou outro tipo de perda e quando você divulga aqui Lak, dá aquele click nas pessoas; pois como você gosta de frisar, cada caso é um caso.
    Não vejo a hora de ter o meu IC… 😥
    Bjinhos geladinhos (do frio tá!)

  6. Adoreei a entrevista, e é bom saber que quem tem boa audição residual pode mantê-la agora. Viva a tecnologia, graças a ela surdos ouvem, cegos enxergam e deficientes fisicos andam (saiu inclusive na Veja dessa semana falando sobre o exoesqueleto que permite tal façanha). E assim como diz o jairo rs, a matrix vai dominar o mundo rs.

  7. LIGIA disse:

    Que interessante isso tudo!nem sei falar do meu caso..porque nao sei sobre as frequen cias da minha audiometria..so sei que tenho audicao residual…de resto nao sei como proceder ou me informar 😯

    • laklobato disse:

      Você poderia tentar entrar em contato com a Unicamp, só de curiosidade… Sei lá… Sem a sua audiometria (eu sei a minha de cor), fica difícil avaliar… mas.. audição residual quase todo mundo tem. Eu tb tinha. Mas era severa e não moderada.
      Beijos

  8. LIGIA disse:

    …E mais..ja estou em fase de pré-operatorio para fazer o IC..pelo visto o hibrido nao é feito no HC de Sp ne?e se for ver sobre hibrido nao sei como ficaria situacao do IC que ja estou para fazer cirurgia 😥

  9. Maíra disse:

    Fiquei confusa… Na parte externa tem tanto o aparelho micro como o que vai ligar com o chip?

    beijinhos

    • laklobato disse:

      Exatamente. Repara na foto menor. A parte externa une processador e antena (tal como um IC tradicional) e tb tem um molde pra ficar dentro da orelha (tal como um aparelho retroauricular). Ela faz as vezes de ambos: capta e converte os sons em ondas de rádio para a antena e capta e amplia o som para o aparelho.
      Tendeu agora??? Qq coisa, tentemos outra didática hihi
      Beijinhos

  10. Ligia disse:

    Mas Lak..qual contato da UNICAMP sabes me informar?outra coisa,como ficaria caso do HC?ja que esta tudo caminhando para fazer o IC por la…

    • laklobato disse:

      Lígia, pesquisa na net. Entra em contato com o Reginaldo…
      Sobre o HC, não faço idéia… Apenas sugeri, porque vc disse que estava interessada.
      Beijos

  11. Maíra disse:

    Então vem dois tipos de sons diferentes? Como assimilar isso?

    • laklobato disse:

      Maíra, o cérebro acostuma. Principalmente pq os ‘dois tipos de sons’ estimulam partes diferentes da cóclea. Eu mesma ouço via área num ouvido e por impulso elétrico em outro. O cérebro é programado para responder aos estímulos, ele acha um meio e se acostuma à ouvir desta maneira.
      Reginaldo falou disso na entrevista: “o som que vem do implante ele é bem diferente do som “acústico“ no hídrido, ele une os dois tipos de sons. Por isso, no começo confunde pra caramba, mas o som deve ser muito melhor do que o (IC) convencional”
      Beijos

  12. Olivia disse:

    Oi Lak! Eu tenho uma amiga em Buenos Aires com implante hibrido, mas a experiencia dela nao foi boa por agora. Gostaría de traducir e subir tua reportagem no blog (colocando a fonte, teu blog, claro)…. Posso? Beijocas, beijos sonoros e sempre saudades de vc.

    • laklobato disse:

      Mas claro que pode, querida…
      Pois é, esse é o primeiro usuário do IC hibrido que conheço e sinceramente, não posso atestar que funciona… O caso da sua amiga não foi boa pq, vc sabe?
      Beijocas e saudades muitas!!