Legenda em tempo real!

Pra gente, que sonha e implora por legenda o tempo todo, os norte-americanos, pra variar, voltam a nos deixar babando de inveja.

Olha só a notícia abaixo, traduzida do site newscientist.com

Surdos poderão, em breve,  receber legendas em  eventos ao vivo através de seu smartphone, graças a um novo sistema online de transcrição de legendas.

Estenógrafos profissionais podem fornecer legendas em tempo real, mas custam até US $ 200 por hora e não podem ser contratados em cima da hora ou para sessões curtas, enquanto os sistemas de reconhecimento automático de fala têm taxas de erro bastante elevadas. Então, o cientista da computação Jeffrey Bigham, da Universidade de Rochester, Nova York , junto com alguns colegas decidiram optar por equipes de trabalhadores não-especializados que podem ser contratados sob demanda e de custo muito mais em conta.

Quando o usuário inicializar o aplicativo chamado cribe, ele se conecta a um servidor central e contrata profissionais de serviço de transcrição da Amazon Mechanical Turk. Estudos anteriores demonstraram  um grupo disponível  pode ser montado dentro de segundos. Cada legendador ouve uma transmissão ao vivo do áudio por telefone (do usuário) e tenta transcreverr legendas o mais rápido possível.

Os legendadores ouvem o áudio completo, mas o volume de cada sessão é variado, de modo que cada legendador se concentre em uma parte em especial. O Scribe, então, combina os textos parciais enviados pelos legendadores com o software, normalmente usado para alinhar as sequências evolutivamente relacionadas de DNA.

Bigham modificou o software para dar conta de erros de digitação comuns, baseados no layout de um teclado – por exemplo, se alguém digitar “fqll”, é mais provável que se queira dizer “fall” do que “fill”, porque “a” está mais próximo de “q “do que” i “. O software, então, escolhe as palavras que a maioria dos legendadores digitou.

Em testes, o Scribe foi capaz de capturar o texto falado com precisão de 74% das palavras faladas, em comparação com 88,5% com a transcrição profissional. “Esperamos nos próximos meses conseguir disponibilizar uma versão para usuários finais, surdos e ouvintes, para entender melhor como eles querem usar as legendas”, diz Bigham, que irá apresentar o trabalho no Simpósio sobre Software e Tecnologia de Interface de Usuário, em Cambridge, Massachusetts, em outubro. Tabitha Allum, chefe executiva da Stagetext, diz que o  Scribe poderia ajudar a atender uma necessidade crescente de legendas.  “À medida que nossa população envelhece e as pessoas tornam-se mais surdo, a demanda por palestras e palestras acessíveis irá se tornar cada vez maior”, diz ela.

fonte

Enquanto os americanos se preocupam com as legendas, para o benefício da população que perde a audição, na medida que envelhece… Os brasileiros ficam preocupados com a dublagem, em prol de… deixa pra lá.

Beijinhos sonoros,

6 palpites

  1. SôRamires disse:

    Enquanto isso a gente ficha morrendo de inveja né? Sabe que eu tenho vista “briguinhas” no twitter de gente contra a dublagem, não só surdos mas espectadores comuns e críticos de cinema…os cegos querem dublagem nós não queremos e assim vai.
    Não gostaria que se criassem cinemas ou sessões especiais para surdos ou para cegos…existem aqueles sistemas de legendagem num quadro sob a tela, usei no Cine Sesc, feito pela Iguale e a dublagem e audiodescrição com fone de ouvido. Surdos e cegos não atrapalham o espectador sem deficiência, então podemos todos ir juntos ao cinema e ao teatro.
    E para eventos a mesma coisa, o sistema de som para cegos e também para surdos e legendas para surdos. Acho que não dão tanta bola para nossas necessidades porque acreditam piamente que todo surdo usa libras. Precisamos acabar com esse mito! 😈

  2. Raul disse:

    Realmente, os norte-americanos estão a anos-luz de nós. Enquanto aqui está na moda dublar seriados favoritos para agradar a classe C semi-analfabeta que sente dor de cabeça em ler legendas, nos EUA, já há uma grande preocupação com acessibilidade por causa da população que está envelhecida e ficando surda.

    Quero ver quando essa classe C ficar envelhecida….

  3. É como eu estava falando pro meu primo, aqui estão dublando tudo que tem direito, OK, eu não me importo, pois há os analfabetos e semi analfabetos que tem direito de ver TV também, mas onde está a dificuldade em disponibilizar closed caption em TODA a grade de programação e todos os canais, ou colocar a opção de legenda como tem em ALGUNS programas de ALGUNS canais? Eu acho que isso é PURA preguiça. Nos EUA todos os canais tem closed caption, SEM EXCEÇÃO!!!
    E agora surge esse CalledScribe…quando teremos isso? Em 100 anos ou NUNCA se deixar.

%d blogueiros gostam disto: