Música na Voz de uma deficiente auditiva

Deficiencia auditiva impede gostar de música?

music

A via de regra é essa. Afinal, música depende de boa audição.

Mas, por outro lado, são as dificuldades que medem a importância de alguma coisa. E para quem tem risco de perder a capacidade de ouvir música, a  relação que se tem com elas muda muito.

Hoje, minha amiga de facebook Rosana Schoeps conta como é ser cantora tendo perda auditiva:

“Comecei a perder a audição aos 20 e poucos anos e não percebi. Fui diagnostica com perda auditiva devido a um teste profissional e procurei 2 especialistas que me recomendaram aparelho. O terceiro me propos a cirurgia de estapedectomia (naõ sei se esse é o nome correto). Em dois dias eu fiz a cirurgia no ouvido direito e ele me disse q no meu caso as chances de recuperação não seriam 100% só ajudaria a recuperar o convivio social. O resultado foi surpreendente e recuperação rápida. Ainda tenho perda acentuada no ouvido esquerdo e a recomendação de cirurgia futura ou uso do aparelho.

A perda no ouvido esquerdo ainda sente na convivência. Mas minha percepção do ambiente, até devido a música, me ajuda bastante. Na musica, comecei cantando na igreja com 5 anos, aprendi violão com 10 anos, subi ao palco em Festivais de Musica pela primeira vez com 14 anos, e também começando a lecionar musica. Fui professora em duas grandes escolas de Música da região, participando de projetos de voz e instrumento. Após a perda e a cirurgia eu me afastei, eu me auto rotulei e me escondi, enterrando meu dom, cantava aqui e ali muito raramente. Somente em 2002 comecei um trabalho de Blues com Gabriel Ferreira chamado Cat’s and Roll, onde me apresentava com releitura de Blues e duo de guitarra. Mas sempre com um certo distanciamento do palco.P roblemas de ordem pessoal assim me mantiveram. No ano passado resolvi quebrar alguns paradigmas participei de 3 grandes eventos, Festival do Cambuci, Festival de Inverno de Paranapiacaba, Festival da Canção Francesa 2013. Neste ano comecei como vocalista e guitarrista na banda Paulo Toth and the Lady’s Blues Band, além de um trabalho de duo de musica Francesa.

Assumir a limitação foi muito interessante, porque na verdade a grande dificuldade é dos outros e não nossa. Brincadeiras como “vc é surda?” E eu respondia brincando sim, ate tenho uma prótese de teflon que não vai grudar nunca rsrs.

Na maioria, as pessoas nem percebem minha deficiência, justamente porque estou sempre atenta no meu entorno.
Acho que é isso
Eu imagino que se Bethoven tivesse tido a oportunidade de fazer cirurgia o que nós teriamos a mais de legado da música?”

Quem sabe, né Rosanaa?

Quem quiser conferir um dos trabalhos dela, segue o audio, onde ela faz instrumento e voz:

Espero que gostem!

Rosanaa, todo o sucesso do mundo pra você!!

Beijinhos bem sonoros!!

Lak

2 palpites

  1. soramires disse:

    SEMPRE AMEI MÚSICA E A perda auditiva por volta dos 20 anos me angustiou porque eu imaginava que não poderia mais ouvir música…entrei numa escola de música, passei a comprar todos os discos que podia…eu queria ouvir tudo antes de ficar completamente surda. Por sorte não aconteceu, piorou mas o avanço tecnológico me ofereceu próteses de ótima qualidade (AASI ou aparelhos auditivos). Feliz porque a Rosana pode continuar com seu maravilhoso dom musical. Vou compartilhar o link no blog SULP…muita música para todo mundo.

  2. Silvia disse:

    Rosana sua voz é simplesmente linda!