Desculpe, não ouvi!

Buááá

Vira e mexe, alguém me pergunta quando pretendo ter filhos. É que, tipo assim, eu sou casada há quatro anos (no papel, ainda não fez dois, só em julho) e nunca faço qualquer menção...

Feito pra você?!

Sou moderadora de uma comunidade dedicada especialmente à dinâmica dos surdos oralizados no orkut. A maioria tem uma opinião tipo a minha: o mundo tem que aceitar a diferença e respeita-lá, não existe meio...

Futilidades legais

Inaugurando um novo espaço no blog, de coisas bacanas que se acha por aí (na net e fora dela). Com vocês, o relógio em língua de sinais: Confira funcionando no link Não sei se...

Pé-de-valsa

Pé-de-valsa

Sabia que sou uma menina superpoderosa? Não, meus superpoderes não me permitem voar, mas dão asas à imaginação. Outro dia, falando com minha amiga e princezinha (ela tem 18 anos e é um frufru...

15 minutos de fama lá vou euuuuu

Enfim, os meses foram passando e a minha carta parecia não ter causado o efeito esperado, já que nenhuma matéria era feita sobre PcD‘s. Nem liguei, sempre fui consciente da minha condição de Zé...

Há recados para Deus e o mundo.

Há recados para Deus e o mundo.

Continuando o post anterior, o título remete ao cabeçalho, na semana seguinte, na coluna de cartas do caderno Folhateen.: Há recados para Deus e o mundo. Para os machões anos 0, para a Lakshmi...

Semicidadãos?

Acho que todo mundo sabe, mas não custa dar um empurrãozinho na memória de quem tem ela curta. A luta pela acessibilidade, pela inclusão social pela igualdade de direitos das pessoas com deficiências não...

As Sem-Razões do Amor

As Sem-Razões do Amor

Quem me conhece sabe a adoração que eu tenho por Carlos Drummond de Andrade, mas se tem uma poesia dele que eu venero é essa: Eu te amo porque te amo não precisas ser...

Ai, que praga, viu?

Domingo à noite, antevéspera de feriado. Milhares de empresas decidem emendar o feriado também na segunda, não tive essa sorte e trabalho amanhã. Mas, para o bem de todos e felicidade geral da nação...

Epopéia de um domingo de manhã

Epopéia de um domingo de manhã

(escrito em 24 de janeiro de 2005) Eu dormia tranquilamente na minha cama, discutindo suavemente com o cobertor, que teimava de me esquentar mais do que devia, numa ensolarada manhã de domingo. De repente,...