Percepção do mundo e você

Acordei hoje com uma vontade enorme de tatuar uma fênix nas costas.

Para quem não conhece mitologia grega nem leu Harry Potter (ou nem viu os filmes) segue uma explicação sobre quem é essa entidade “A fênix é um pássaro da mitologia grega que, quando morria, entrava em auto-combustão e, passado algum tempo, renascia das próprias cinzas. Outra característica da fénix é sua força que a faz transportar em voo cargas muito pesadas, havendo lendas nas quais chega a carregar elefantes. Podendo se transformar em uma ave de fogo.” (copiado da wikipédia)

Guardadas as devidas proporções, acordei com a sensação de que, pela quarta vez na vida, estou numa fase de mudanças de percepção do mundo e, por consequência, mudo um pouco de quem eu sou. Ainda que, na essência, nós dificilmente mudemos, a maneira como percebemos o mundo acaba afetando nosso comportamento. Especialmente no que toca a percepção auditiva. Pois, como bem disse… alguém (não lembro quem falou que tinha um amigo que dizia isso)… “A cegueira nos afasta de coisas e a surdez, das pessoas.” Logo, é impossível negar que ouvir ou deixar de ouvir afeta muito a nossa relação interpessoal.

Veja bem, até pouquissimo tempo atrás, era necessário que eu olhasse para qualquer pessoa, se quisesse entender o que ela dizia. Antes disso – e depois de fazer a primeira cirurgia do IC – eu podia ouvir e sabia quando ela falava, mas não compreendia nada do que ela dizia, sem ler seus lábios. Agora, basta que a pessoa fale próximo de mim, que consigo entender bem o que ela diz, sem precisar virar o rosto… Não sei precisar quão próximo ela precisa estar, porque nunca testei em metros, mas sei que pode ser a uma distância de 1,5m pelo menos.

Então, pela quarta vez na vida, transformo a minha percepção do mundo e, por tabela, acabo mudando um pouco quem eu sou. Daí a identificação com a fênix.

Como fazer uma tatuagem não é algo que deva ser feito de impulso – a não ser que você seja daquelas pessoas que não costuma se arrepender ou não costuma se importar quando se arrepende – vou esperar alguns meses, para ver se a vontade permanece ou passa.

Mas, sobretudo, afirmo que meu momento é bastante intenso. Tenho a sensação de estar vendo toda a minha vida e as minhas emoções em microscópio, aumentadas, exageradas e até um pouco assustadoras. Tem sido um momento de reavaliar os próprios dogmas, reafirmar ou negar as próprias certezas, exorcizar as mágoas e fazer as pazes com a vida! Por isso tenho escrito tão pouco e textos, geralmente, curtos…

Beijinhos sonoros,

Lak

1 palpite