Por que é importante divulgar a existência dos Surdos Oralizados?

Vira e mexe, me deparo com alguma notícia na imprensa que me embrulha o estômago: citam a deficiência auditiva como se só existisse um grupo homogêneo de ‘pertencentes da classe’.

A modinha agora é falar que deficiente auditivo não domina a língua portuguesa. Alias, já agregando a dificuldade idiomática à deficiência, como se deficit auditivo impedisse alguém de adquirir qualquer outro idioma que não a língua de sinais.

Olha, longe de mim lutar contra a LIBRAS, mas sinceramente, não faria mal os entusiastas respeitarem a existência de deficientes auditivos de outros graus que não a anacusia (ausência total de audição) ou deficientes auditivos adquiridos, que tiveram português como primeiro idioma. Tampouco, deveriam vender que surdez incapacita alguém de aprender o idioma que for, porque isso faz com que os leigos no assunto, por tabela, achem que deficit auditivo limita o intelecto também. Ninguém é incapacitado de aprender português porque é surdo, apenas uma parte considerável de surdos tem mais afinidade com a língua de sinais e ponto.

Mas o foda (perdão ao linguajar) nisso tudo é ver essa informação equivocada ecoar pela imprensa de maneira dogmática e todos nós com deficiencia auditiva, passarmos a sermos vistos como analfabetos infuncionais do português!

A última foi o DETRAN RS sair divulgando que “deficientes auditivos não tem vocabulário para exame teórico”. Pronto, colocaram todos nós no mesmo saco de analfabetos. Alguém avisa ai que os surdos oralizados existem?

Só que, a gente sabe, enquanto não tiver ninguém para avisar o mundo que deficientes auditivos nem sempre nasceram surdos, que deficientes auditivos de graus moderados, severos e até  profundos podem ser plenamente oralizados e alfabetizados em português, por aparelho auditivo, implante coclear, sistema BAHA e/ou por fonoterapia, estudando em escola inclusiva ou até regular (meu caso!), a sociedade vai continuar ouvindo apenas aqueles que divulgam a língua de sinais e que tentam vendê-la como sinônimo de deficiência auditiva.

Na boa, ninguém precisa omitir que o outro existe para advogar em causa própria. Portanto, que os Surdos Oralizados sejam divulgados à exaustão. Quem me ajuda?

Beijinhos sonoros,

Lak

30 palpites

  1. SôRamires disse:

    Lak bem lembrado! Estamos todos cansados de sermos tratados como incapazes de comunicação em português, que surdez é sinônimo de língua de sinais e só!
    Nos grupos de surdos oralizados encontramos gente com formação superior em várias carreiras…Mas o resultado dessa divulgação errada, preconceituosa,falha e distorcida é que nos ofecerem sub empregos e nos tratam como incapazes. Chega disso!
    Cada vez que falam de surdos na imprensa (menos o amado Jairo) e na TV sempre aparece algum profissional de língua de sinais querendo vender seu peixe, achando que todos devem aprender libras em vez de estimular o ensino de português a todos os surdos. 😈

  2. Paula Pfeifer disse:

    EU!!!

    \o/

    Se temos comprado essa briga é justamente porque a ‘comunidade surda’ nunca fez questão de divulgar a nossa existência.

    Se alguém ja tiver lido em jornal/revista/site ou visto na TV alguma matéria com algum representante da ‘comunidade surda’ falando sobre as necessidades dos surdos oralizados me mostre, porque até hoje nao encontrei.

    Então, cabe a nós essa tarefa. É nossa obrigação moral, acho eu!
    E cá entre nós, não entendo porque isso incomoda tanta gente!

    Beijos,

    • laklobato disse:

      Porque tem gente que acha que falar de outros grupos minimizaria a causa deles…
      Aquele lance de religião, sabe? Enquanto houver gente da religião verde, a religião azul estará ameaçada. Só na cabeça deles.
      Beijos

  3. Giseli disse:

    Pois é, Lak, precisamos divulgar de vez! Pode contar com minha ajuda, se precisar 🙂

  4. Bruno Sequeira disse:

    Lak, concordo em gênero. número e grau com vc, acho um absurdo essa barreira criada, quase um muro de Berlim, querendo omitir da sociedade a existência de surdos oralizados, eu até pouco tempo, até o advento da Joaninha conhecia muito pouco sobre o assunto e me vi maravilhado com a descoberta e passei a defender essa causa com unhas e dentes, até porque é esse mundo oralizado que quero para minha pequena!!!
    bjs
    Bruno

    • laklobato disse:

      Pois é, sem divulgação, o mundo fica achando que a deficiencia é homogênea. Não é! Minha irmãzinha pode optar por ser bilingue se quiser. Ou até sinalizada apenas. Mas, se ela optar por ser oralizada, precisa que nosso grupo esteja bem divulgado e com suas necessidades atendidas. Beijos

  5. Eliane disse:

    É isso, 😳 essa verdade precisa ser gritada a 4 ventos. Respeito e Consideração com os mais diversos níveis de surdez. E, consciência de que existe um grande número de surdos oralizados. Liguagem de sinais é pra quem precisa dela, o que não é o caso dos surdos oralizados. Será que é tão difícil compreender isso? 😳

  6. MAQ disse:

    No Bengala Legal eu divulgo a surdez oralizada em textos da Anahi e Sônia

  7. MAQ disse:

    Esqueci de dar o endereço!
    http://www.bengalalegal.com/comunicacao-alternativa
    Abraços amigos do MAQ.

  8. Fernando Cabral disse:

    Lak, conte comigo !!!!!!!!! Você falando francês e eu inglês….que tal ?

  9. Eduardo Bueno disse:

    Olá. Sou da turma que Lê e Fala ptbr. Mas entendo mal o que falam.
    AASI é o que salva.
    É claro que concordo com a falta de divulgação do problema que nos aflige.
    O necessário seria escrever mais em jornais, revistas, onde fosse possível É CLARO! Mas desculpem os surdinhos amigos. Nesta semana, na Folha de São Paulo, na coluna Tecla SAP, teve uma reportagem sobre a falta de legendas nos canais de TV por assinatura. Escrevi duas opiniões sobre a reportagem. Não vi nenhuma mais sobre “nossa turma”. Teve gente que até “curtiu” o que escrevi. Comentei até sobre os filmes brazucas e coisa e tal. Resumindo: Deveriamos ter um local que QUANDO houvesse uma chance de expormos nossas mazelas, que prontamente os interessados pudessem postar e informar o que necessitamos. Tipo a matéria que postei eu Enviaria o link para Lak e ela (coitadinha) dispararia e-mail para os interessados em fazer o que estamos tanto dispostos aqui.
    Acho que um (UM) dos problemas é que sem querer, estejamos circunscritos ao nosso tão amado “DNO”. E para propagar é necessário ir lá para fora.
    [ ]’s

    • laklobato disse:

      That’s true! A gente não faz barulho nenhum… Mas, a tua idéia de formar um grupo de manifestantes por email é boa, heim? Vou levar um plá com uns amigos e ver o que acham disso.
      Sei que os leitores do Crônicas da Surdez se manifestam bastante sim… Eu mesma já escrevi pra vários lugares…
      Não vi esse lance da falta de legenda nos canais por assinatura na Folha, mas falei disso na minha coluna do Acessibilidade Total em setembro.
      Enfim, gostei da idéia e repassá-la-ei.
      Beijos

  10. Eduardo Bueno disse:

    Olá, Segue o link da matéria. Que não é sobre a falta de legenda. É sobre a dublagem para ptbr que matou a legenda>>
    http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/994476-tv-paga-vira-dublada-e-esquece-som-original.shtml
    E, de novo; e não xingando. Na coluna Acessibilidade, os leitores serão da “turma” e queremos a “turma” mais os ouvintes (termo que nós usamos e que os dignatários nem imaginam). Sei lá. Bom seria fora do meio dos sons ou que não denotassem ser um grupo. Cada um curte o que mas agrade e depooooois, se tiver tempo; lê ou toma conhecimento de outras coisas. Ai entraria as valiosas informações. Tipo Futebol (para atrair) com aparelho no ouvido (sem AASI ou IC para não espantar) e no artigo as coisas que tanto queremos.
    [ ]’s

  11. Deni disse:

    Bem legal o post e você já sabe a minha opinião. Mas farei um comentário em relação ao link da folha postado pelo Eduardo.
    Eu, por exemplo, já faz um tempo que nem sei para que pago TV por assinatura, além da grade da programação ser ruim, ter de aturar comerciais mais a falta de legendas; por esse conjunto de fatores faz tempo que ando baixando os seriados que me interessam e assisto no horário que me convém, e acho que o futuro é esse… é raro eu ligar a TV, não pela falta de legendas, mas pela qualidade e inclui as por assinatura.

    bjos,

  12. Deni disse:

    Ah! desculpe, mas para termos voz e comprarmos briga pelos interesses dos surdos oralizados, está na hora de sair um pouco do virtual e por algo em prática, não acha? Não acompanho de todo o grupo de vocês via forum, face ou sei lá o que mais, mas deu para perceber que somos muitos e temos de eleger alguém para ir até Brasília fazer lobby pelos nossos interesses e é urgente, pois como todos sabem os sinalizados estão bem representados e atuantes apenas nos interesses deles.

  13. Maíra Bonna Lenzi disse:

    Euzinha !

  14. Rubens Murilo Schramm Filho disse:

    Olá Lak,

    Sou surdo oralizado, e gostei de sua matéria, e acredito ser uma grande verdade que as pessoas não vêm as diferenças entre deficientes auditivos, sinalizados e oralizados, assim como em outros casos. Creio que precisamos ter mais “voz” como outros colegas citaram em suas respostas, para que as pessoas conheçam mais a nossa realidade…
    Abraços,

    • laklobato disse:

      Sim, certamente. Precisamos de uma representação legal, para defender nossas necessidades de acessibilidade (e nossa existência, que é o mais importante) perante a sociedade! Isso está fazendo uma falta tremenda!
      Beijocas

  15. Simone disse:

    Concordo com as pessoas que falaram em representar os surdos oralizados. Que supra logo esta falta!
    👿

  16. Simone disse:

    Precisamos rir? Sinto, hoje estou seria…