Praticando esportes com o Implante Coclear

Uma das muitas lendas que gira em torno do implante coclear, é de que os implantados não podem praticar esportes.

Não sei como era nos primórdios da tecnologia (que é muito mais antiga do que vocês imaginam, ela foi inventada em 1955 e o primeiro implante não-experimental feito em paciente foi em 1977, sendo usado na Europa e EUA desde os anos 80 e no Brasil, desde 1990) mas hoje em dia, o IC é sim compatível à práticas esportivas.

É claro que pode exigir algumas adaptações da parte do usuário e possui algumas restrições como: não indicação para artes marciais nível olímpico (embora eu conheça uma implantada que luta Taekwondo na seleção portuguesa) e mergulho autônomo abaixo de uma determinada profundidade (nem vou detalhar qual é, porque já li muitas versões diferentes).

Porém, os demais esportes costumam ser permitidos sim e até incentivados, já que a prática deles é saudável para todos nós.

Esportes de academia: ginastica, musculação, alongamento, cárdio, podem ser feitos com a parte externa plugada. Algumas pessoas preferem prender o aparelho com uma faixa, outras não. Algumas preferem tirar, mas por opção pessoal. O único esporte que eu sentia necessidade de prender o IC com a faixa, era para aula de jump, porque no pula pula, parecia que ele ia cair da minha orelha a qualquer momento.

Esportes de ar livre: Trekking, climbing, biking – usar ou não o IC fica a critério do usuário. A maioria que eu conheço, prefere deixar o processador externo na mochila ou prender com uma faixa/capacete.

Esportes com bola: Volei, basquete, futebol, handbol, etc. É mais adequado fazer sem o processador (porque a bola pode bater nele e derrubar) ou com capacete de proteção.

Marcelo de Paula, usando um capacete de rugby adaptado para proteger o IC

Marcelo de Paula, usando um capacete de rugby adaptado para proteger o IC

Esportes aquáticos: podem ser feitos sem o processador externo ou com o case de proteção de cada modelo (alguns tem, outros ainda não). Ou, no caso do Neptune da AB, pode ser usado normalmente já que é à prova d’água.

Artes marciais: ideal que seja feito sem o processador externo, sob risco de ser derrubado durante um golpe. Deve-se evitar golpes na região da cabeça e/ou usar um capacete de proteção para essa área.

Dança: Como a música é importante para esse esporte, uma faixa prendendo o aparelho, pode ajudar bastante a mantê-lo no lugar.

O mais importante é que, se o processador externo ficar em contato com o suor, ele deve ser limpo com um pano seco após o uso e o desumidificador deve ser utilizado religiosamente à noite.

De resto, não apenas temos uma vida normal e ativa, como mantemos o prazer de praticar esportes como qualquer ser humano!

Olha só a história desse menininho implantado que ama futebol:

http://globoesporte.globo.com/futebol/times/flamengo/noticia/2015/10/da-surdez-ao-titulo-copa-fla-e-superacao-do-menino-fernando.html

Implante coclear não é desculpa para deixar de fazer o que quer que seja. Muito menos esporte, tudo bem?

Beijinhos sonoros

Lak

 

1 palpite