Questão de ponto de vista: Implante Coclear x Silêncio

SucessoXFalhaEu amo o implante coclear e 1/3 do meu tempo, divulgo a existência dele, falo da parte técnica e da parte poética.
Falo da alegria de voltar a ouvir depois de duas décadas e meia de silêncio.
Descrevo com o mesmo entusiasmo ouvir folhas secas sendo esmagadas pelos nossos passos ou escutar Cavalgada das Valquírias de Wagner.
O implante coclear é o alicerce mais forte da PERSONALIDADE que eu me tornei.
Se eu puder tirar todas as dúvidas e afastar os medos de quem me procura, eu faço isso para que as pessoas não percam nem mais um segundo em silêncio por receios.
E é algo que faço de coração aberto, só porque a felicidade de reencontrar os sons não é algo que cabe no meu coração, é um sentimento tão grande, que preciso dividir.
Mas, admito que fico surpresa quando alguém diz “não entendo porque alguém pode ser contra o implante coclear.”.
Acho que a resposta é mais simples do que parece: pode, porque sim.
Para um surdo de nascença já com identidade formada (falando especificamente daqueles que negam o uso do IC ou dos AASIs), a surdez não é uma deficiência, ela é um traço de personalidade.
Ouvir não está ligado ao prazer, não está ligado a informação (porque a visão, no caso deles, dá conta), não está ligado a conexão com o mundo (porque o fazem através da visão). E, sobretudo, mexer com a realidade que a pessoa conhece, que sempre viveu, é desconfortável. Nem todo mundo gosta de sair da sua zona de conforto.
É claro que compreender o que eles sentem, nem sempre significa concordar. Para um ouvinte, o som tem um significado inestimável. Por isso que a maioria das pessoas fica triste ao perder a audição. Para um ouvinte, a audição é a base do sentimento de comunidade, porque a comunicação se faz através dela.
Não escrevo isso para mudar a visão de ninguém, apenas um apelo ao respeito. Quem gosta de ouvir, deve procurar entender e respeitar quem tem a surdez como referência de identidade. Para quem não acha importante ouvir, que haja respeito por quem opta pelo implante coclear para si mesmo ou para o filho.
Compreender não significa concordar, apenas demonstrar respeito ao direito inalienável de escolha.
Pessoalmente, eu escolhi o implante coclear e é sobre ele que eu divulgo.

%d blogueiros gostam disto: