Repair Parts

Como a vida de cyborg não é nada fácil (ai, que mentira…) tive que ir na assistência técnica ver se conseguia arrumar um probleminha que dá, às vezes, no meu Implante.

Volta e meia, ele dá uma falhada, como se entrasse num vácuo de silêncio por cerca de 1,5 segundos, tal como se a pilha fosse acabar, ou um curto circuito desse uma falha no sistema ou até houvesse uma pequena explosão ausente de som tomasse conta do momento. A verdade é que é muito rápido e nem dá pra saber direito o que se passa.

Semana passada, levei na Dra. Valéria, que não achou nada e  sugeriu que eu fosse na assistência.

E eu fui, visto que é chatinho e me deu medo de ser algo sério e progressivo, que consertado na hora certa não daria grandes problemas, mas esperando demais, tornar-se-ia inconsertável.

Pedi para minha mãe ligar, marquei hora com o técnico (na real, pedi para ele esperar, porque iria no meu horário  de almoço) e dei um nó no Google Maps para achar o caminho mais rápido….

Antes de ir, conversei com o Raul, um amigo também usuário do IC, que me contou que certa vez, ficou 2 meses sem a parte externa, porque ela tinha ido para o conserto. Senti um pavor ENORME de ficar  sem o IC por um tempo. É engraçado, eu passei 23 anos sem ouvir, mas a possibilidade de voltar para o isolamento sonoro, mesmo que por pouco tempo, é muito desagradável…

Chegando lá, o técnico veio falar comigo, perguntou se eu tinha trocado as peças de reposição (vieram algumas no kit), se ele ficava no desumidificador (porque ferrugem corrói a parte interna e ai, a garantia não cobre o conserto) e levou a parte externa  para testar, me deixando com o coração na mão, sabe?

Mil coisas passaram pela minha cabeça, o quanto eu gosto de ouvir, o quanto o IC melhorou a minha vida, o quanto ele me faz sentir bem comigo. Não sou mera usuária de uma prótese semi-interna, sou apaixonada pelo meu Implante!

Cinco minutos depois, o técnico voltou e disse que não tinha nada de errado com o processador. Acha que o imã descola rapidamente da cabeça e, por isso, o som falha. Pediu para deixá-lo mais apertado, mesmo que doa um pouquinho, porque logo acostumarei. Ele testou o imã que uso e um mais forte e disse que realmente parece meio frouxo. E, a melhor notícia: pode voltar pra casa com ele, tranquilamente.

Voltei para o trabalho com uma sensação enorme de alívio. Gosto de saber que cuido bem do meu aparelhinho, tanto quanto ele cuida de mim haha

Beijinhos sonoros,

Lak

22 palpites

  1. Lígia disse:

    Olha eu apredendo mais e mais com a Lak..rs
    Sério, não sabia que poderia acontecer essas coisinhas com o implante, um pouco porque como eu o acho absurdamente caro dai imaginei que era contra defeitos.

    Mas ainda bem que o seu está perfeitinho e sem problemas. Tenha uma ótima tarde Lak! Bjs

  2. Edelson disse:

    Oi Lak,

    Eu também fico assim quando tenho que deixar a prótese para conserto / manutenção ou ainda quando o ouvido não está legal. Fica um vazio grande, até mesmo quando a pilha acaba e não tem no bolso, só tem em casa, puts. Muito raramente isso acontece, pois ando com uma caixinha, mas as vezes fica em casa.

  3. Alessandra disse:

    Lak, se vc colocar o seu IC para conserto, eles te emprestam outro…
    E quando estiver acabando a sua garantia, vc se associa a ADAP que eles fazem o mesmo.
    Bjs

    • laklobato disse:

      é, eu soube pela Adap agora há pouco hehehe
      Mas, tem certeza que a Politec empresta? Porque ninguém me falou nada disso não. Só soube que a Adap empresta…
      Beijos

  4. SôRamires disse:

    é… quem depende de prótese sente que falta um pedaço quanda a geringonça encrenca…uma vez tive um ataque de desespero quando testava aparelhos novos num dia de calor, a transpiração invadiu os circuitos e os dois pararam de funcionar ao mesmo tempo, e o pior eram emprestados para fazer teste e custavam uma nota. Foi assim que descobri as “camisinhas” de silicone, capinhas que não vendem no Brasil e são uma coisa tão simples…mas as empresas de aparelhos auditivos lucram muito com os consertos, então não vendem a capinha que evita a oxidação. Tenho que comprar na Argentina ou EUA.
    Que bom que não era nada sério, imagino a aflição de ficar sem ele uns dias ou mais como no caso do Raul.Quando o equipamento volta a funcionar a gente percebe o quanto ama essa “parte postiça”…

    • laklobato disse:

      Sô, segundo soube por comentários aqui, durante a garantia, a assistencia empresta outro. Depois, os filiados a ADAP tb conseguem. Mas, o risco de ficar sem existe… Complicado, né?
      Beijos

  5. zuleid disse:

    Olha, eu posso imaginar! Quando fico sem internet ou sem o computador já é insuportável então posso imaginar sem uma parte da gente!
    Que bom que resolveu Lak!
    Beijos!

  6. Kali disse:

    Ufa! Essa vida de ter que ir na Assistência Técnica é muito tensa!!!! Ainda bem que deu tudo certo!
    Bjs

  7. Armando disse:

    Lakshmi, antes de mais nada que ótimo que tudo acabou bem na assistência técnica, mas acho que um medo meu se desfez com este relato. Desde a época de seu implante me perguntava se vc ia se adaptar e gostar do IC? Bem, agora está completamente respondido! Que bom! Bjs

  8. Rogerio disse:

    Como é que pode, né? Um troço tão caro, delicado e útil a ponto de receber uma declaração de amor, e o fabricante não disponibiliza a proteção de silicone de que a Sô falou, só porque os consertos são mais lucrativos. Uma curiosidade: qual é o prazo de garantia definido pelo fabricante?
    Beijos estalados.

    • laklobato disse:

      2 ou 3 anos, não tenho certeza. Mas existe extensão da garantia, que se renova anualmente…
      Enfim, vc sabe como é a industria da saúde… Muita coisa é feita visando lucro. Mas, no caso da assistencia do IC, eu não tenho muito do que reclamar (ainda?). Beijos

  9. David disse:

    Já passei por isso com o meu AASI, tanto com defeitos como outras ocorrências. Olha só o meu descuido. Uma vez , estava no carro, o danado do AASI simplesmente parou de funcionar. Achei que fosse pilha. Tirei, troquei a pilha e… nada. Tirei de novo e coloquei no bolso (era um intra-canal). Desci do carro e me abaixei para fazer algo que não me lembro. O AASI caiu do meu bolso e eu, surdinho da Silva, não ouvi.
    Resultado… passei por cima com o carro… bem numa sexta-feira… Como na minha Cidade não tem assistência (embora não dava mais para consertar) tive que ir na segunda-feira na empresa fornecedora e pegar um emprestado até que chegasse um novo. Foi uma lástima ficar sem ouvir.
    Fora essa situação foram outras várias relacionadas a defeitos que me levou a comprar um “backup”.
    Fico com um tanto preocupado com o IC… pois um “backup” é bem mais caro que um AASI.
    Só pra você ter uma idéia da minha preocupação em vir a ficar um dia sequer sem ouvir (depois que fizer o IC), já comprei uma caixa de pilhas antes mesmo de fazer o implante. Pelo menos por conta de pilhas não fico sem ouvir.

    Mas que dá um medo dá… pois já vi relatos em que a pessoa enviou o IC pra conserto e demorou meses para retornar.

    Ah! Pelo que sei a ADAP fornece backup, mas a Politec não necessariamente.

    Então… é cuidar com carinho dessa “parte do nosso corpo”.

    Beijos

    • laklobato disse:

      Exatamente… hahahaa eu também comprei DUAS caixas de pilha antes do IC. Mas, o Freedom da Cochlear tem bateria recarregavel (cara, viu?) que é muito melhor que as descartáveis.
      Eu ja perdi aparelho, acredita? Enfim… com o IC, eu tenho um zelo inacreditavel. É o amor da minha vida… A gente não descuida porque, realmente, ele torna uma parte indispensável de nós…
      Beijo

  10. Marcela Cordeiro disse:

    Ah, ficar sem o aparelho, deixar na assistencia tecnica me dá uma agonia,s e eu ficar sem ouvir, me isolo! Pode isso?
    Horrivel, sei como se sente…rss

    Bjos

  11. Leila disse:

    Esse negócio já aconteceu comigo, foi o mesmo probl que o seu. A antena ficava escorregando um pouco. Apertei um pouquinho, mas às vezes sai do lugar pq fico mexendo o cabelo…