Ajuste-se!

E lá fui eu fazer o novo mapeamento do Implante Coclear. Pra quem não sabe, no primeiro ano, nós ajustamos os programas 6 vezes. Não se se é comum em todos os centros, mas na Fundação de Otorrinolaringologia onde eu faço, o espaçamento é gradual: de 6 em 6 semanas nos primeiros 3 mapeamentos, 8 semanas entre o terceiro e o quarto e 3 meses entre o quarto e o quinto (do quinto pro sexto, suponho que seja um trimestre também). O legal é que a a gente também ajusta como prefere, nesse meio tempo. Escolhe a altura e a sensibilidade que prefere, o programa que gosta mais e vai se adaptando ao implante.

No meu caso, os ganhos são animadores, embora lentos. Mas, como disse a fonoaudióloga, meu caso seria demorado mesmo, pelo tempo que fiquei sem ouvir. Ainda assim, é acima do esperado, então fico feliz.

Embora eu ainda dependa muito de pistas visuais pra discriminar a fala, a compreensão sonora melhora gradativamente. Por exemplo, no teste de compreensão de palavras polissílabas, eu acertava em terno de 85%, 90% (comparando aos 10% de acerto com o AASI – prótese convencional), lembram? Pois é, agora deu 100% hihihihi

Em matéria de vogais, continuo na mesma (70%, como da outra vez), mas com a diferença que o erro são de sons próximos, tipo E e I ou O e U, não mais erros aleatórios. O que é promissor também.

Por outro lado, teste pra saber se tem diferença entre leitura labial apenas e uso da audição mostra que a compreensão é similar. Portanto, eu AINDA não perdi meu dom de ler lábios, embora eu perceba uma maior facilidade de compreender com o IC ligado.

Sai de lá feliz da vida. Com as melhoras e de saber que minha leitura labial não está ameaçada ainda. Taí um dom que eu não quero perder nunca, mesmo que consiga ouvir e discriminar 100% sem ajuda dela…

No mais, só o tempo vai dizendo. E, pra ele, sou toda ouvidos. Literalmente…

Beijinhos sonoros,

Lak

16 palpites

  1. Leila disse:

    Só hoje consegui ficar online por mais tempo e passei pra dar oi!

    Estou ficando péssima em leitura labial. Mas ainda insisto em ler lábios.

    Beijinhos querida!

  2. Leila disse:

    Se eu não levo bolsa com pilhas, falo p/ repetirem umas 2 ou 3 vezes…
    Depende com quem estou conversando… Vou me acostumando.

  3. zuleid disse:

    Uau!!! Só boas notícias! E o melhor é saber que podemos contar com você “traduzindo” as falas dos jogadores!
    Sabe de uma coisa: Você virou Ciborg mesmo!!!!
    Beijos!
    P.S. Leila, faça como a Lak mantenha seu dom, porque eu tô treinando!

    • laklobato disse:

      Sabe quando vc não quer abrir mão, mas sabe que sem isso, não vai conseguir a etapa seguinte? Então, é mais ou menos isso. Espero que dê pra ter ambos. Senão, tb abro mão de parte da leitura labial… Já tive bastante tempo… beijos

  4. Eliane Lobato disse:

    Poxa eee que delicia saber da sua evolução,sempre nos brindando com
    “boas Novas” mas, isso de manter a leitura labial é genial pq sempre será um
    recurso a mais, como vc foi rápida ao desenvolve-la acredito que consiga
    mante-la.
    beijinhos felizes cobertos de chocolate!!! 😀 🙂 😉

  5. SôRamires disse:

    Lak bendita a hora em que você resolveu fazer esse implante, sei que você pensou muito antes de decidir, mas está sendo um ganho para você e para todos os que te conhecem mesmo que seja virtualmente.
    E bendita hora em que você decidiu dividir com a gente as suas experiências, sustos, esperanças e descobertas.
    Acabo de ver na net uma video contra o IC tão mal feito, mal argumentado, agressivo e discriminatório que penso com tristeza que muitos talvez não tenham a ventura de ter essa oportunidade. Se eu com meus aparelhos auditivos consegui não me desligar do mundo acho um pecado privar alguém de voltar a ouvir.
    Tenha a certeza que seus textos estão ajudando muita gente a entender o que é surdez, privação de audição e a batalha diária pela integração na sociedade e na vida plena a que todos temos direito.
    😉 😉 😉

  6. Rafael disse:

    Olá Lak,

    Estou acompanhando seu blog a um tempo, sou deficiente auditivo e fiquei admirado com sua forma de escrever.Gostaria de saber, pois não consegui achar aqui, uma forma de falar diretamente com você? teria como me passar seu e-mail, ou msn ? tenho algumas dúvidas e acredito que talvez possa me dar uma luz. Obrigado.

  7. Olá! Meu nome é Priscila Festa e sou bolsista da Universidade Tuiuti do Paraná, em Curitiba, PR. Estou desenvolvendo minha dissertação de Mestrado em Distúrbios da Comunicação em “Surdez e Internet: Análise de discursos de surdos no ambiente virtual”, e estou pesquisando sobre discursos de surdos na internet. Já visito seu blog há alguns meses, o que me inspirou para fazer essa pesquisa, e gostaria de saber se você concorda quanto ao fato de eu, como pesquisadora, analisar este blog. Sua participação é muito importante.
    Para saber mais detalhes, entre em contato via e-mail (pesquisadorapriscila@gmail.com) e acesse meu blog de pesquisa (www.pesquisandoblog.blogspot.com), lá consta meu projeto de pesquisa sobre a dissertação. A seguir, será enviado um Termo de Consentimento, no caso de você concordar com que seu blog faça parte da amostra.
    Muito obrigada e parabéns pelo blog! Mestranda Priscila Soares Vidal Festa, UTP.

    • laklobato disse:

      Sinceramente? Não autorizo não. Não quero que meu blog seja objeto de estudo. Não escrevo aqui para ser analisada, escrevo o blog para ajudar pessoas em condições semelhantes, que precisam de identificação, num mundo onde se fala muito da Libras e pouquissimo dos surdos oralizados/implantados. Todas as vezes que tentei ajudar, de alguma forma, tentaram fazer parecer que a língua de sinais é muito melhor e até mesmo deturparam coisas que eu disse.
      Te peço, por gentileza, de não citar meu blog nem extrair nada para o seu trabalho, uma vez que aqui é um ponto de encontro apenas.
      Abraços.

  8. Ok! Obrigada pela resposta.

    Já vi muitos trabalhos sobre Blog, em que os pesquisadores apenas coletaram informações, sem questionar a opinião do dono do Blog por se utilizar da lei juris navegantis defendendo que é de domínio púlbico.

    Só penso que poderia conhecer mais do meu trabalho e de minha opinião, em http://pesquisandoblog.blogspot.com/2010/06/etica-na-internet.html

    apenas quis fazer diferente, respeitando o espaço de cada um. Por isso respeito a sua.

    Sei do que está falando, pois eu sou intérprete, coordenadora de uma escola de surdos, porém tb sei do outro lado, pois tenho amigos surdos oralizados que não utilizam a língua de sinais e compreendo que eu optei por trabalhar com surdos que utilizam a língua de sinais, porém, a Libras é difundida de uma maneira que a sociedade não compreende que essa é uma das “subjetividades” da surdez, é uma forma de comunicar.

    Isso é algo que quero defender no Mestrado, pois minha orientadora é fonoaudióloga e trabalha terapêuticamente com implantados. A intenção é que tanto na blogosfera como no Youtube, eu escreva sobre o que surdos oralizados e surdos sinalizantes escrevem e falam. Apenas isso, sem puxar “sardinha” para qualquer lado.

    é triste que outros “entusiastas” tenham queimado essa preciosa oportunidade de falar no meio acadêmico sobre isso, como o artigo da Anahy diz:> nem todo surdo usa a língua de sinais, nem todo cego sabe o Braille.

    Mas valeu a tentativa…

    obrigada pela atenção

    Priscila Festa

    http://www.pesquisandoblog.blogspot.com

    • laklobato disse:

      Ainda assim, mantenho a posição de não querer que meu blog participe de estudo nenhum.
      E, lamento, não tenho interesse de conhecer o seu ou qualquer outro trabalho acadêmico sobre o assunto.