Aventuras de uma usuária do Implante Coclear

Há cerca de um mês e meio, recebi o email de um leitor perguntando se poderia fazer um documentário sobre o blog para participar de um concurso de documentários de internet.

Obviamente, eu me senti honrada com o convite e topei.

Ficamos cerca de 2 semanas elaborando roteiro (mérito todo do Jean), realizando as filmagens e gravações de áudio. O resultado ficou surpreendentemente bom, com um detalhe: foi gravado (e legendado) totalmente em francês. Imagine o orgulho da Crisaidi, minha professora de idiomas (atualmente, só estou cursando inglês, tá?)

Finalmente, criei coragem de legendar em português, para trazê-lo ao DNO.

Duas informações pertinentes: é curto porque tinha tempo máximo. E eu não estou vendendo o IC, caso alguém diga que não serve para todo mundo. O vídeo é um relato específico do meu caso, que eu garanto que funcionou hihi

Abaixo, segue um texto descritivo para os amigos com deficiência visual poderem ter uma boa idéia do vídeo. Eu transcrevi as falas porque, obviamente, parti do pressuposto que nem todos devem ser fluentes no francês. Peço perdão pelos exageros e possíveis falhas de descrição, já que não tenho experiência com isso. Mas foi feito de coração!!

Importante, para visualizar a legenda em português, pode ser que vc precise habilitá-la. Clique no botão CC do rodapé do vídeo, caso ela não apareça automaticamente.

Texto descritivo:

“O vídeo começa com o som e a imagem de uma retroescavadeira.
O narrador diz: São Paulo capital, onde vive Lak, blogueira brasileira de 34 anos.
A imagem muda para vários prédios vistos de cima.
O narrador continua: Aos 10 anos de idade, ela perdeu a audição por sequela de caxumba.
Apareço eu, uma mulher de 34 anos com cabelos pretos lisos, apreciando a vista.
Narrador: Em 2009, a tecnologia mudou sua vida: um implante eletrônico que a permite ouvir novamente.
A cena muda para minha casa, onde apareço digitando algum num notebook. Primeiro meu rosto olhando para a tela. Depois os dedos digitando no teclado.
Narrador: Em seu blog, ela compartilha sua experiência como ouvinte Cyborg,
como ela mesma se define.
Aparece novamente a retroescavadeira.
Eu começo a narrar: Na manhã de 16 de fevereiro de 1987 acordei surda.
A imagem volta para meus dedos digitando no teclado (aparece a frase escrita, junto com a imagem: “extraido do blog, escrito por Lak em 22/05/2009), depois muda para a foto de uma orelha, em preto e branco, que vai ficando cada vez mais próxima e enchendo a tela.
Continuo falando: “Perdi a audição durante a noite. O barulho da obra, aquela maldita obra que me tirava do sono todas as manhãs havia desaparecido.”
A imagem muda novamente para edifícios vistos de cima, com a câmera se aproximando cada vez mais de uma janela. E, em seguida, volta a mostrar a retroescavadeira.
Digo então: No entanto, ao olhar pela janela, vi que a obra estava a pleno vapor.
O silêncio era meu.
A tela fica preta e aparece apenas uma frase escrita, com letra branca: “Em seguida, foram 23 anos de silêncio”
Aparece um contador de anos na tela (apenas os numeros mudando): 1987, 1988, 1989, 1990, 1991, 1992, 1993, 1994, 1995, 1996, 1997, 1998, 1999, 2000
Quando chega em 2001, aparece também a palavra: Universidade
E uma foto em preto e branca minha, no dia da formatura, de beca e capelo, segurando o canudo do diploma.
O contador volta: 2002, 2003, 2004, 2005, 2006
Quando chega em 2007, aparece a palavra: Casamento
e na sequencia, uma foto em preto e branco da festa do meu casamento. Eu vestida de noiva, com flores no cabelo, o noivo sorrindo. A foto foi tirada do lado de fora de uma janela e tem a moldura da janela aparecendo. Ao fundo, aparece alguns cantores com violão e roupas antigas
Volta o contador 2008
Quando chega em 2009, aparece a palavra: Blog
E aparece uma foto minha, em preto e branco, sentada em frente do computador, com o rosto virado pra câmera, sorrindo e as mãos pousadas sobre o teclado. Na tela, aparece a imagem da página inicial do blog “Desculpe, não ouvi”
A tela fica preta de novo, apenas com o texto em branco:
“O blog acabou sendo uma revelação de partilha, de abertura,
de descobertas e encorajamento decisivo à minha decisão de fazer o Implante.”
Aparece então, uma foto do raio X do meu crânio, onde dá para ver perfeitamente a parte interna do implante coclear (um circulo, um quadrado e uma linha, que compõem essa parte do aparelho) e a frase na tela: “E em 21/10/2009 fiz a cirurgia.” E segue a frase: “Foto publicada no blog em 26/10/2009”
A tela volta a ficar preta e aparece a frase, em texto branco: “Finalmente, na quarta-feira de 16/12/2009, o implante foi ativado.”
Aparece um video gravado meu, olhando o Mar Mediterrâneo, sorrindo. Levanto os óculos escuros dos olhos, colocando sobre os cabelos e caminho em direção ao mar.
A frase “Video publicado no blog em 15/11/2010” aparece no canto superior do video.
Enquanto olho o mar, narro em off: “O implante me permite descobrir e redescobrir os sons.”
A imagem se aproxima do solo da praia, onde as ondas suaves trazem algas do mar.
Continuo narrando: “Graças a esse pequeno aparelho eu posso ouvir o mar,”
A imagem muda para uma pessoa abrindo uma lata de refrigerante. E eu digo: “o barulhinho da lata de refrigerante sendo aberta,”
A imagem muda para uma panela, no fogo, com água fervendo e eu falo: “a água que ferve…”
Apareço, então, passando pela catraca de uma estação de metrô, caminhado em direção a escada rolante e depois, subindo essa escada. Aparece a frase, no canto superior do video “Extraído do blog, escrito por Lak em 17/12/2009”
Eu falo: “Sempre tive a sensação de que a surdez separou a minha alma em duas,
pois sempre me senti ouvinte num corpo surdo.”
A imagem muda para eu digindo meu carro. Falo então:”Eu era duas.”
Depois muda para uma imagem minha, levantando o cabelo e mostrando a parte externa do implante e sorrindo. Então, minha voz em off diz: “Quando o implante foi ativado, tive a sensação de que ele iria reunificar a minha alma”
A imagem muda para uma livraria, onde caminho entre estantes e mesas de livros. Toco num livro e continuo caminhando. Continuo narrando em off: “o que é irônico, pois me tornei metade humana, metade máquina. A partir deste dia, voltei então, a ser uma só: uma ouvinte cibernética.”
Apareço sentada numa poltrona, olhando para a câmera e falando diretamente com ela: “Eu me dou conta que compartilhar minha experiência no blog é muito importante.
Nós estamos em 2011, na era de novas tecnologias de informação.
E mesmo assim, ainda existe um monte de gente
que acha que surdos só se casam com surdos,
que surdos não dirigem, que surdos só falam com as mãos e outros equívocos.”
A imagem volta para minhas mãos digitando no teclado, depois foca meu olho e, na sequencia, aparece o monitor do notebook, onde dá para ver o administrador que uso para escever meu blog. Narro novamente em off:”Se eu posso acabar com esses preconceitos através do meu blog, todas as minhas dificuldades não terão sido em vão.”
O narrador oculto volta a falar, enquanto aparece imagens do dia a dia. Eu andando na livraria, vista de baixo. Depois uma imagem minha mexendo no celular, na sala da minha casa trabalhando no compudador. E por fim, meu rosto sorrindo, enquanto converso com alguém que não aparece no vídeo.
O narrador diz: “Muita gente pensa que a tecnologia irá acabar com as relações humanas tal como as conhecemos.
Que elas criarão gerações desconectadas com a realidade.
A história de Lak demonstra o contrário.
Ela tem orgulho de se definir com cyborg, mas o que ela compartilha na internet é um exemplo de humanidade.”

Espero que gostem… E se quiserem compartilhar, fiquem a vontade.

Beijos sonoros em volume máximo,
Lak

48 palpites

  1. Juliana Toro disse:

    ahhh ficou o máximoo!! =D que linda que esta! beijos beijos 😈 😎 😀

  2. Lia Ganiko disse:

    Legal !!! Sou leitora assídua do seu blog e por mais que sabemos da sua história, mais me emociono !!!
    Parabéns pelo video e iniciativa !!

    bjs 😀

    • laklobato disse:

      hehehe obrigada! A iniciativa foi do Jean, produtor do vídeo, não posso roubar o mérito dele. No mais, acabou ficando muito melhor do que eu esperava hehe
      Beijocas

  3. Lari disse:

    Lak querida, você sabe que sempre que posso acompanho seu blog, embora quase nunca comente. Chorei ao ver seu vídeo agora, emocionante de verdade.
    Fico pensando como quem nunca teve qualquer dificuldade para ouvir sons como o de uma latinha de refri sendo aberta não dá valor para a maravilha que é ouvir. Tudo fica tão banal …
    Acompanhando sua história sempre me emociono e penso 2x antes de reclamar dos meus problemas. Volta e meia me pego lembrando de você pra “acordar pra vida”. Obrigada por fazer parte da minha vida, amiga querida!
    Beijo enorme,
    Lari

    • laklobato disse:

      Oi, Lari!
      Eu não sabia que vc lia sempre hihihi
      Mas a verdade é que tem coisas que só alguém que não tem ou que teve e perdeu consegue reconhecer o valor, porque são coisas tão banais, que acabam se tornando despercebidas pra nós.
      Por isso que vale tanto a pena buscar amigos que não são tão parecidos conosco assim. Eles serão capazes de ver aquilo que estão camuflados pela rotina.
      Viu a longa descrição do vídeo que fiz? Foi porque um amigo cego, o Wellington (ele comentou logo depois de você, olha só) me cobrou isso. Como eu poderia negar, né?
      Mas não, sem o toque dele, dificilmente eu lembraria de fazer isso.
      A união faz a força porque torna a vida mais completa.
      Beijo enorme cheio de saudade!

  4. Wellington Alves disse:

    É isso aí Lak, ficou ótimo e super acessível. Parabéns!
    Seria legal vc passar a descrever todas as imagens e fotos suas que postar de agora em diante. O que acha?
    Bjs

    • laklobato disse:

      Sim senhor. Farei disso um hábito!!
      Nem sou de colocar tanta imagem assim, mas agora sei que tem gente precisando do som pra enxergar…
      E entendo bem o que é isso, já que preciso de alguma pista visual para ouvir algumas coisas ainda hehe
      Beijocas e obrigada pela ajuda quanto ao texto descritivo.

  5. fabiana disse:

    Lakinha adorei ! ! Achei muito bom e você tá com um corpo lindo. 😛 😛 Bjsssss 😉 😉

  6. Maria Alice disse:

    Oi,

    Já tinha visto o filme, mas sua descrição me emocionou… E apoio suas opiniões!!

    Bjs

    • laklobato disse:

      O que a gente não faz pelos amigos, né?! hahaha
      Obrigada por compartilhar minhas opiniões. A recíproca é mais que verdadeira, viu?
      Beijocas

  7. Renata disse:

    Lak, amei o video. Parabéns pela coragem de se expor frente as cameras e principalmente em um outro idioma. Beijos

    • laklobato disse:

      É, acho que acabei com o estoque de óleo de peroba aqui de casa hihihihi Total cara de pau.
      Mas o audio em off foi gravado em estudio e a entrevista teve umas 5 tomadas, até sair legal. Mérito do produtor do vídeo, Jean, que teve toda a paciência do mundo de transformar minha história bobinha num belíssimo documentário!
      Beijos

  8. Daniella Tiveron disse:

    Oi Lak Lobato.
    Eu amei o vídeo, parabéns.
    Admiro sua determinação e coragem. Tem que ser assim, você vai longe.
    Eu também sou deficiencia auditiva e sou feliz 😀
    Se cuida
    Um BEIJOS

  9. teresa disse:

    Lak, adorei saber sua história tão linda!!!Parabéns pela sua conquista. Sucesso e vá em frente, garota!!! 😀

    beijos!!!

  10. Julia disse:

    Lak, como vc ve, sempre acabo dando um pulinho. E qdo volto vejo que vc até internacional já está! Muito bacana o video e tudo o que voce transmite. E parabens tambem à sensibilidade do produtor. Felicitations!
    Eu comecei um blog sobre minhas viagens (internas e extenas), ficarei feliz com sua honrosa visita. http://raizesvoadoras.blogspot.com/

    • laklobato disse:

      Julia, querida… Obrigada pelos elogios… E vou lá fuçar no seu blog agora mesmo!! Adoro viajar, ler sobre viagens então… delicia.
      Beijos

  11. Bárbara Neves disse:

    Aiii que lindoo! Ameei, Lak!
    Continue assim…
    Bjooo

  12. Elias disse:

    então amiga “superativa” rs parabéns. ficou muito bom. A história não é bobinha não, é muito significativa pra muita gente, pode ter certeza. Grande abraço.

  13. Greize disse:

    Lak, quer me matar do coração, fiquei arrepiada, mto lindo, chorei.Emocionante, como vc relata o que sentia.Lindo, Parabéns ao Jean, e a vc, mto sucesso. 😛
    P.S: Posso divulgar esse vídeo???

  14. Angela Pontual disse:

    Oi Lak, o video realmente ficou ótimo. Adoro esses videos curtinhos, que exigem um bom roteiro e, claro, uma boa história.
    Você e o Jean conseguiram juntar os dois.
    Parabéns aos dois!
    E um parabéns especial pra vc, pelas conquistas, coragem e por essa luta que vc abraçou de coração, que é o empenho de partilhar a sua experiência e servir de canal para todos que quiserem/precisarem contar suas histórias.
    Beijão
    Angela

    • laklobato disse:

      Eu faço de todo o meu coração… e a única coisa que recebo em troca (até pq é a única coisa que tem valor) é saber que gente que tinha medo do IC que nem eu, foi atrás por minha causa… O valor disso não pode ser mensurado em medidas humanas.
      Beijos

  15. David Barbosa Melo disse:

    Oláááááá´! Não me puxe as orelhas… tô sumido sim, mas continuo lendo todos os seus posts, só não tenho comentado.

    O roteiro e diagramação desse vídeo ficou ótimo, mas cá entre nós, não fosse a estrela principal……?!

    Lak, parabéns pelo vídeo, ele mostra de forma sensível a evolução e sucesso que você tem tido com o IC e inspira a todos quanto o veem.

    Sua história em si já é um dínamo para outros, como tem sido para mim, encarar a realização do IC, ainda mais agora com imagens tão efusivas e inspiradoras, nas quais o seu semblante denuncia a sua plena satisfação.

    Sucessos !!!!

    Bjs.

  16. David Barbosa Melo disse:

    Bem, fui contemplado com o descaso da operadora de saúde (UNIMED-Nacional).

    Já impetrei ação judicial com pedido de liminar para o implante bilateral. Estou aguardando julgamento.

    Acredito que no decorrer desta semana me seja concedido liminar (assim espero). Mas não estou aflito não. Não tem como ser negado IC, ainda mais que a ANS está para soltar nova resolução com obrigatoriedade do IC bilateral.

    bjs

  17. Márcia disse:

    Lak, SENSACIONAAAL!!!
    Inteligente e criativo, sem deixar de ser sensível.Parabéns
    Abraços 😮

  18. Soraya Teixeira disse:

    Lak,

    parabéns ao Jean pela iniciativa e a você por ter encarado. Amei o roteiro e a delicadeza de como a história foi contada. Ah, e além de tudo você estava linda, linda no vídeo…

    Beijos!
    😉

    • laklobato disse:

      Ahhh obrigada!! O video foi feito em cima do blog, seguiu bem a narrativa do blog. O talento do Jean de resumir tudo em 3 minutos permitiu que fosse feito com maestria hehehe
      Beijocas

  19. Sun Melody disse:

    Lak,

    Posso levar este vídeo para o meu blog, lá no Sou uma Cyborg-Ouvido Implantado com este post inteirinho?

    Ficou bem legal!

    Beijos sonoros daqui ao som dos passarinhos a cantarolar!
    Sun

  20. Deni disse:

    Lak! Muito show esse vídeo! Já disse em outra ocasião que admiro a sua coragem de se expor… Parabéns! (não ligue, mas eu sou bicho do mato para isso…hehehehe)

    Bjos!

    • laklobato disse:

      Alguns de nós precisam fazer isso, né? Se todo implantado tiver medo de se expor, fica difícil quem tá na dúvida se implanta ou não decidir por ele. Mas, entendo e respeito quem prefere privacidade. Tem horas que cansa mesmo hahaha
      Beijos

  21. Jean disse:

    Oi Lak,
    Vendo os comentarios, pelo menos podemos falar que fizemos um trabalho honesto com esse video. Se ajudar pessoas entender um poquinho a realidade da surdez e do implante, perfeito. Se seu exemplo, mostrado assim, emocionou, deu coragem ou ajudou combater os preconceitos, beleza!
    Grande Abraço

  22. Crisaidi disse:

    Se fiquei orgulhosa?
    Olhe, olhe! ‘MINHA ALUNA’! (Sorrindo com lábios e com os olhos molhados de alegria. Nem eu acredito! Acho que meus alunos estudam escondidos com outros professores só para me alegrar! Que felicidade a minha!)
    Ficou lindo!
    Jean est super!

  23. Mariana disse:

    Vc já tinha me falado,mas só hoje consegui vir ver e ouvir. Seu francês tá perfeito ( bem melhor que o meu!) e tou vendo que vc começa a ser conhecida internacionalmente. Dia desses vou poder dizer que sou amiga de uma blogueira que todo o mundo conhece.

    Além de que vc tá linda. Líndissima. Como era mesmo? Irritantemente bonita! 😛
    Beijos querida, tudo de bom, pra vc.

  24. Mariana disse:

    Nada, adorei a expressão!