Diferenças entre o Nucleus 5 e Nucleus 6

Nucleus 5 e Nucleus 6

Como vocês sabem, eu acredito que todo aparelho de implante coclear, independentemente de marca ou modelo, tem o potencial de permitir que um implantado ouça maravilhosamente bem. O principal fator que diferencia um caso de outro – como por exemplo, quem consegue falar no telefone e quem não consegue – não é o aparelho em si, mas as condições, causas, tipo de perda, momento em que a perda ocorreu e outras características individuais de cada usuário.

Mas,quando se trata de diferenciar um aparelho de outro, acho importante que a gente tenha sempre depoimentos de usuários e não apenas detalhes técnicos de folhetos e sites especializados.

Uma pergunta que eu tenho respondido bastante é sobre se existem diferenças entre o Nucleus 5, modelo da Cochlear que eu usava anteriormente, para o Nucleus 6, novo modelo da mesma marca.

Bom, para começo de tudo, eu tenho consciência que não é tão simples mudar de um modelo para outro. Especialmente quem fez o IC pelo SUS. Ou até mesmo para quem tem plano de saúde, que normalmente nega a troca, a menos que o modelo anterior tenha entrado em obsolescência e as peças de reposição já não estejam mais no mercado. Porém, algumas pessoas conseguem a troca via convênio ou comprando do bolso e aí, a dúvida persiste: qual a diferença?

Primeiro, vamos falar da primeira coisa que se vê: a aparência.

en_product_nucleus6smallestsoundprocessor_sizecomparison_657x508

Como você pode ver, o Nucleus 6 é bem parecido com o Nucleus 5, mas ele tem um visual mais clean, mais “aerodinâmico” e se você optar pelo modelo CP920 (sem a porta para acessórios), com a bateria compacta, ele ficará bem pequeno. Se comparar com o Freedom então, a diferença é enorme.

Outra coisa que você vai reparar logo de cara no Nucleus 6 – e que eu adoro – é o fato do gancho ser de silicone. Nem todo mundo usa o gancho simples, mas como eu sou orelhuda (hihihi) todos os processadores sempre encaixaram na minha orelha sem precisar de fixação extra. O do Nucleus 5 era de acrílico, que deixava minha orelha meio vermelha e dolorida no final do dia, quando eu usava tipo 18hs seguidas. O de silicone encaixa melhor e até agora tem agradado mais a minha pobre orelha grandona.

Agora vamos falar da parte técnica.

O que o Nucleus 6 tem de diferente:

  • wireless-prod-group-shotAcessórios wireless (clique nos links para ver os vídeos):
    Mini Mic
    , Phone Clip e TV Streamer: a vantagem desses acessórios é que são próprios para o Nucleus 6 e o receptor é interno. Ou seja, não é preciso acoplar um receptor (sapata) externo. Isso diminui o peso do aparelho e facilita para conectar e desconectar o transmissor. É por isso que o modelo CP920 não possui a porta de acessórios, já que não é necessário usar o sistema FM ou cabos.
  • SmartSound/SCAN: uma solução tecnológica que copia a função natural da audição de selecionar o que se ouve, através de um scan de ambiente, que reconhece quando o ruído aumenta ou diminui, adequando a programação para otimizá-la.
  • DataLogging: um software que grava as informações sobre o tipo de ambiente e quantidade de tempo em que o processador é usado, de forma que o audiologista possa ter informações precisas de como está sendo o estímulo auditivo de uma criança implantada.

Posto isso, na teoria, vamos falar do que significa na prática trocar o Nucleus 5 pelo Nucleus 6, através da minha experiência após 6 meses de uso.

O SmartSound é o amor da minha vida. Vocês lembram que eu tenho resultados diferentes numa orelha pra outra? E que o que separa o som ambiente da voz da pessoa mais próxima é justamente o fato de ter duas fontes sonoras? Pois é, essa minha diferença de uma orelha para a outra me deixava menos capaz de separar o ruído ambiente. Não que eu não conseguisse ouvir bem em ambientes ruidosos, mas o esforço era grande. Com o scan, eu tenho sofrido bem menos em restaurantes, por exemplo. Minha vida social melhorou muito, porque eu fico menos estressada em almoçar/jantar com amigos. E graças a essa diminuição de ruídos, eu pude perceber mais detalhes pequenos do som, tipo a diferença clara entre “Ch” e “S”, coisas sutis que às vezes soam parecidas para quem ouve com implante coclear.

Encaixe das peças. Se tinha uma coisa que eu sofria horrores com o Nucleus 5 era trocar o gancho e cabo de antena, sem suar frio para não quebrar nada. Tudo bem que nunca quebrei, mas era um pouco mais difícil de por e tirar essas peças quando precisava trocar, que eu morria de medo, pela quantidade de histórias que ouvi de ganchos quebrando. Cabo de antena quebrado nunca ouvi história nenhuma, mas era meio traumática a sensação de que poderia quebrar em qualquer passo em falso. No caso do Nucleus 6, esse medo não existe. As coisas são fáceis de encaixar e a gente não sofre com nada. Resultado, uma preocupação a menos.

Os acessórios wireless falam por si mesmos, nos vídeos que fiz sobre eles (veja acima). Declaro meu amor eterno e absoluto pelo TV Streamer, que me devolveu o prazer de assistir televisão com programação em português/dublada, sem medo de ser feliz. E porque eu fiz minha prova final de inglês (parte de áudio) com ele e tirei uma nota ótima.

E, principalmente, amo de paixão o controle remoto do Nucleus 6, que é inteligente e bem mais fácil de mexer (depois que você aprende, porque no começo a gente se perde um pouco) que do Nucleus 5.

Quem tiver oportunidade  de trocar o aparelho, mas tiver dúvida se vale a pena, fica a dica. Vale demais!

Beijinhos sonoros

Lak

28 palpites

  1. Jony disse:

    Bacana, Lak !
    O n5 tbm possui desligamento automático (após 2 min sem conectar a anteninha) como no n6 ?

  2. Cecília disse:

    Possui sim.
    O meu é n5 … ele desliga automaticamente. Tem que programar no software mesmo.

  3. Mae essa eu quero Stela Costa

  4. Precisava que o da filha fosse trocado pois já tem sete anos que está com o antigo 👎😭

  5. Ó meu filho Fernando colocou o 6 e está ainda 2 meses fazendo adaptações fico esperançoso quando leio tuas informações.Ainda está no p3 e fazendo treinamento com a fonoElsa que gosto muito e acredito que aos poucos ainda pode melhorar bjs

  6. Lúzia disse:

    Olá Lak Lobato,sei que estão falando sobre a coclear,alguem conhece por um acaso algum blog sobre a Advanced Bionic?alguem que passe dicas valiosas como as suas,vejo falar muito sobre o coclear,porem parece q ninguém usa da Advanced Bionic .

    • Lak Lobato disse:

      Oi, Luiza. Eu falo da Cochlear, porque é a marca que uso. E acho que a gente tem que falar do que conhece, né? Pelo menos nesses textos que são depoimentos de usuários. Não sei de nenhum blog de usuário da AB. Se houver, não estou a par. Mas, você consegue achar grupos separados por marcas em redes sociais como o Facebook e o WhatsApp. Beijinhos

  7. Marisa Ap. de Carvalho Martins disse:

    Estou na tentativa da troca pelo SUS pois o meu ,Nucleus Freedon rachou (do nada…..tirei p dormir coloquei no desumidificador ,qdo peguei na manha seguinte p usa-lo estava com trincas) O caso está em andamento ,os responsáveis me disseram sobre a possibilidade de ser o N 6 …vamos ver! Mas amei conhecer essas diferenças,explicação excelente,Lak!

    • Lak Lobato disse:

      Para quem troca do Freedom direto pro Nucleus 6, falam que a diferença de qualidade de som é muito grande, além de todos os outros benefícios que listei. Logo, seria uma troca excelente para você. Na torcida, para você conseguir essa troca! Beijinhos

  8. monique disse:

    Oi lak, Vc sabe como faço pra trocar o ic pelo convenio?

    • Lak Lobato disse:

      Olá, Monique. Inicialmente, o processo é simples: você pede ao médico de implante coclear que cuida do seu caso (preferencialmente, mas pode ser outro que saiba de IC também) fazer um laudo de justificativa de porquê você precisa da troca: obsolescência do modelo anterior, porque o atual está quebrado e fora da garantia, etc.., etc. O que ele julgar ser mais adequado para o seu caso..
      Tendo o laudo em mãos, você faz a solicitação administrativa junto ao plano de saúde.
      Se por acaso negarem, peça a negativa por escrito, que aí você poderá dar entrada um pedido jurídico, através de um advogado (particular ou defensoria pública).
      Beijinhos sonoros

    • Jeane Carla disse:

      Olá, minha filha trocou há dois meses o freedom pelo n5, foi um ano de tentativas, até que a ADAP anunciou em novembro que não havia mais peças sobressalentes, somente o kit completo. Nenhum médico queria assinar laudo de solicitação de troca, porque os convênios afirmaram que muitos pacientes estavam solicitando troca mesmo com o aparelho ainda funcionando perfeitamente, o que caracterizava troca desnecessária. Tivemos que anexar laudos informando a obsolescência, laudos da politec informando que estavam quebrados (minha filha ficou 6 meses sem o IC do lado direito) e o outro prestes a parar tbm por falta de peças. Mas só no terceiro médico que conseguimos o laudo, mesmo com justiça demora muito. E detalhe eles só liberaram o n5 porque resolvi pagar o excedente, eles iam dar um modelo inferior chamado cp820, parecido com o N5, mas sem controle. O N6 com certeza eles não liberam. Dá trabalho, é muita burocracia, mas vale a pena.

    • Lak Lobato disse:

      Nossa, que absurdo essa situação dos convênios. Mas que bom que deu tudo certo. O Nucleus 5 é um aparelho excelente. O N6 tem algumas características que podem ser melhor em alguns casos – no meu caso, a questão do SmartSound/Scan – mas não tive problema nenhum de ouvir por 4 anos com ele. E é bem melhor que o Freedom, principalmente na questão do peso na orelha e no consumo de pilhas. Beijinhos

  9. Walter Kuhne disse:

    Olá Lak,
    Complementando: uma diferença muito importante que há entre os processadores Nucleus 5 e o Nucleus 6 é o de que no Nucleus 6 quando você conecta a bateria recarregável ou o compartimento de pilhas descartávis, o processador liga automaticamente. No Nucleus 5 é preciso apertar o botão on/off para o processador ligar. Dessa forma, o usuário fica mais tranquilo, quando usa o Nucleus 6 pois não precisa se preocupar em acionar o botão on/off.

  10. Silvia disse:

    Bom dia!! Queria saber se podemos solicitar ao plano troca de peças danificadas? Pois meu filho possui o implante bilateral e um dia lados algumas peças queimaram, como o processador por exemplo e o custo ficou alto e ainda nao conseguimos comprar.

    • Lak Lobato disse:

      Você pode entrar em contato com o seu convênio e solicitar a reposição de peças. É provável que o convênio tente negar, mas a manutenção do aparelho é garantida pela Resolução 338/2015. Caso haja recusas, ligue para a ANS e peça orientações de como proceder.