Sugestão de Leitura: Ilustrança

Se tem uma coisa boa que a surdez me trouxe foi a habilidade de leitura. Porque confesso que antes de perder a audição, eu era muito preguiçosa para ler e acabei sendo forçada a aprender a ler, no sentido mais importante do termo: gostar de ler, apreciar a leitura e enriquecer o vocabulário e a exposição de idéias.

Sou uma ávida incentivadora da arte de estimular a leitura para crianças. Especialmente as implantadas, cujo vocabulário seria muito beneficiado através de livros infantis, principalmente aquelas que apresentam dificuldade de interpretações de textos.

Pensando desta mesma forma, Sabrina Tomanizi, mãe de Lorena (implantada bilateral cuja história é um dos mais belos depoimentos já publicados aqui no DNO), teve a idéia brilhante de criar um livro especialmente dedicado a esse público. Segue abaixo um bate papo nosso a respeito do ILUSTRANÇA:

DNO: Como nasceu a ideia do Ilustrança?

Sabrina: A inspiração para criação deste livro veio da minha experiência de comunicação com a Lorena.

Ela, sendo uma criança com deficiência auditiva, que fez o implante coclear aos três anos de idade, não tinha, naquele momento, uma boa comunicação oral. Ela falava pouquíssimas palavras.

Esta é a fase mais difícil para quem tem um filho surdo: o momento em que a criança ainda não desenvolveu nenhum tipo de comunicação.

Lembro que um dia ela pegou uma massa de modelar e me pediu para que eu fizesse uma um bichinho, um animal que ela queria. Mas não conseguiu me dizer que animal era. Eu resolvi desenhar o que tinha entendido, e fiz uma coruja. Ela tomou o lápis e desenhou um foca. Foi neste momento que percebi que era viável estabelecer uma comunicação por meio de desenhos.

Minha formação é em publicidade, então sempre tive interesse pela criatividade e pela forma como ela ajuda crianças a se tornarem adultos mais independentes, mais seguros diante de uma situação problema. O exercício da criatividade dará a eles a certeza de não existirá apenas uma única resposta para os desafios que surgirão em seu dia-a-dia.

Portanto a série de livros Ilustrança aparece como uma ferramenta para o desenvolvimento da criatividade infantil através do desenho, que além de ser uma forma de expressão, contribui – entre outras coisas – para o desenvolvimento da coordenação motora e da noção de espaço.

DNO: E qual a proposta de leitura que ele oferece? Para quem é indicado?

Sabrina: O livro vem em branco, somente com os textos que contam a história. A ideia é que a criança leia ou ouça a leitura da história e, em cada página, vá desenhando, ilustrando, aquilo que entendeu ou imaginou da narrativa. Assim, página a página, a criança inventa sua versão da história, fazendo de cada livro um objeto particular.

A proposta é estimular as crianças por um meio sonoro, seja pela própria leitura (em voz alta), seja pelo ouvir contar e, em seguida, fazê-la representar de forma lúdica e simbólica seu entendimento, sua compreensão daquilo que foi lido ou ouvido.

O livro é indicado para crianças que tenham habilidade de desenharem (em qualquer nível, inclusive por meio de garatujas), de se comunicarem de forma simbólica. Quando a criança é alfabetizada ela própria pode ler e interpretar a história. Quando ainda não lê, pode ouvir de um adulto, ou de outra criança, a leitura do texto. Das duas formas criam-se estímulos para as crianças que são traduzidos nas suas experiências de ouvirem e desenharem, de ilustrarem seu próprio livro.

Como mãe, como você descreve a impressão da Lorena acerca do livro?

Ela ficou encantada. Ela adora desenhar. Conseguiu entender a proposta facilmente e quis ilustrar as páginas na hora.

Depois que tinha terminado as ilustrações, quis ler o livro todo novamente, apontando os desenhos e mostrando que tinham correspondência com a narrativa que vinha do texto escrito.

Por estar em processo de alfabetização, pode nos mostrar que era capaz de contar a história com imagens, seguindo uma coerência e organização das ideias, mesmo sem a leitura.

Hoje, ela própria cria seus livros de histórias.

O que as outras mães falaram sobre o livro com você? E as fonos?

O retorno dos pais é bastante positivo e sempre destaca o encantamento com a possibilidade dos filhos serem capazes de criar suas próprias versões ilustradas da história e também por poderem guardar o livro como uma valiosa lembrança da infância.

Para as fonos acaba sendo uma ferramenta de trabalho nas sessões de terapia. Uma delas me contou sobre sua experiência com um paciente que tem paralisia cerebral. Ele apresenta dificuldades na leitura e na escrita e, quando teve contato com o livro, demonstrou um interesse imediato, ele adora desenhar. Então o livro possibilitou a ela a realização de um trabalho com maior foco na leitura tornando o processo mais divertido do que o convencional. Os textos escritos permitiram o trabalho com a leitura, compreensão e elaboração das ilustrações no contexto correto. Também houve a formação de um vínculo maior com o livro que passou a ser “sua obra de arte”, o que valoriza e premia os esforços da criança e sua evolução.

Como adquirir o livro? Qual o valor?

Pela página do Ilustrança no Facebook (https://www.facebook.com/ilustranca), diretamente comigo pelo e-mail ilustranca@gmail.com e também no Instituto Escuta, localizado na Rua Afonso Celso, 140 na Vila Mariana, São Paulo.

O valor do livro é de R$ 15,00 + frete.

Você tem poucos exemplares, né?! Pretende fazer uma nova tiragem ou uma nova versão desse projeto?

A princípio deveremos ter mais uma tiragem. Porém, o segundo livro desta coleção já está em preparação e deverá sair nos próximos meses.

Recomendadíssimo aos pequenos!

Beijinhos sonoros

Lak

 

3 palpites

  1. Que ideia genial. Permitir a criança desenhar a historia no livro a partir do que ela ouvir. Adorei.

  2. Já garanti os livros para meus pequenos. Parabéns Sabrina!

  3. Ana Cristina disse:

    Bela iniciativa!!!! Muito criativo, além de ser uma outra possibilidade de estimulação.. . aprendizado de forma lúdica. Adorei!