Todos os Implantes Cocleares da História

Se você é uma pessoa curiosa como eu, já deve ter ficado interessadíssimo em saber quais são os modelos mais antigos de processador de implante coclear, qual o primeiro modelo de cada marca, quando chegou o primeiro processador retroauricular, etc. E como sempre sonhei com uma timeline (linha do tempo) de ICs para facilitar a minha vida de menina curiosa, resolvi realizar meu sonho e agraciar as páginas do DNO com essa informação.

As datas não são exatas, pois diferentes fontes usam como referência diferentes critérios. Algumas se referem aos primeiros testes, outras à primeira implantação, outras quando o processador foi aprovado pela FDA (a agência que regula equipamentos médicos nos EUA) e outras quando o processador foi lançado comercialmente. De qualquer forma, essa linha do tempo nos dá uma boa ideia da evolução dos processadores.

As informações de “primeiro processador a fazer tal coisa” são baseadas nas alegações encontradas em materiais de divulgação dos fabricantes, seguindo seus próprios critérios. O objetivo do post é apenas dar um panorama aproximado e nada é afirmado categoricamente.

Busca:

Clique nas imagens para ampliar.

1973 – House/Urban: Sigma e Model 7700

O Sigma é o primeiro protótipo criado pelo Dr. William F. House – o inventor do implante coclear – em conjunto com Jack Urban. O Modelo 7700 é uma modificação do Sigma com o feixe de eletrodos mais curto para causar menos danos à cóclea.

1977 – Universidade Técnica de Viena

Enquanto isso, na Áustria, o casal Ingeborg e Erwin Hochmair desenvolve o seu primeiro modelo de implante coclear. Como ainda não havia um processador portátil, os primeiros pacientes tinham que ser conectados a um computador.

1977 – Universidade de Melbourne

Quase ao mesmo tempo, na Austrália, Dr. Graeme Clark começa a desenvolver o implante multicanal na Universidade de Melbourne. Ainda não havia um processador portátil, por isso, nos primeiros testes o paciente era conectado a um computador enorme, como esse que você vê ao fundo desta foto. As pesquisas do Dr. Clark deram origem aos implantes Nucleus, da Cochlear.

1978 – Bertin: Chorimac-8

Quase ao mesmo tempo, na França, o Dr. Claude-Henri Chouard começa a desenvolver a sua versão do implante coclear multicanal. O processador já era portátil, mas era do tamanho de uma maletinha que o usuário tinha que carregas à tiracolo.

1978 – UCSF/Storz: processador de som

A Universidade da Califórnia também começa seus experimentos com o implante coclear. Com o patrocínio da empresa Storz, desenvolvem esse curioso implante com 4 antenas, uma para cada canal.

1979 – Universidade de Melbourne: PSP-I

A equipe do Dr. Clark continua o desenvolvimento na Austrália, lançando o modelo Portable Speach Processor I, que parece uma maleta com um microfone de mão.

1980 – Biostim: Bioear

Devido à sua própria deficiência auditiva, Adam Kissiah, um engenheiro da NASA com nenhuma experiência médica, usa seu tempo livre para aprender como desenvolver sua versão do implante coclear. A NASA ajuda a registrar as patentes que depois são vendidas para a Biostim.

1980 – Universidade Técnica de Viena: body worn speech processor

Após uma série de experimentos bem sucedidos usando computadores, Ingeborg e Erwin Hochmair produzem o seu primeiro processador portátil. O casal funda a MED-EL poucos anos depois.

1982

370 implantados no mundo

1982 – 3M/House

Dr. House se une à gigante 3M e juntos modificam seu modelo Sigma e começam a produção em massa do seu implante monocanal.

1982 – Bertin: Chorimac-12

A Bertin continua o desenvolvimento do seu processador portátil, agora do tamanho de um livro e com 12 canais. Futuramente as patentes são vendidas para a MXM-Neurelec

1983 – Cochlear: Nucleus WSP

O Dr. Graeme Clark, com apoio da Universidade de Melbourne e do governo australiano desenvolve o sistema de implante
Nucleus, o primeiro implante multicanal aprovado pela FDA para uso em crianças e adultos.

1985 – Symbion/Smith+Nephew: Ineraid

O Ineraid é um implante desenvolvido pela Universidade de Utah, diferente do que é comum hoje em dia. Ao invés de um ímã segurando a antena, ele possuía um conector percutâneo (através da pele) no qual o processador ficava conectado através de um plugue. A parte interna não possuía nenhum chip, apenas o feixe de eletrodos. A ideia era que, dessa forma, não seria preciso trocar parte interna. O mesmo modelo era vendido por duas empresas a Symbion e a Smith+Nephew. Note o microfone no gancho, uma ideia reaproveitada posteriormente em alguns processadores da AB.

1986 – MXM: Digisonic BW

A MXM Laboratories é uma empresa francesa que adquire as patentes da Bertin e cria uma versão miniaturizada do implante e processador.

1989

1.000 implantados no mundo

1989 – Cochlear: Nucleus MSP

O Mini Speech Processor, menor e mais leve que o WSP, é desenvolvido para pacientes que possuem o implante Nucleus 22.

1989 – MED-EL: Comfort CI

Após fundarem a MED-EL, o casal Hochmair desenvolve o primeiro processador dentro da empresa.

1991 – Antwerp Bionic Systems: LAURA

Uma equipe da Bélgica desenvolveu um o sistema LAURA. Em 1996, a Philips compra a empresa e quatro anos depois, a Cochlear adquire a Philips Hearing Implants e integra a equipe ao seu time, incluindo Jan Janssen que porteriormente se tornou o VP de Design e Desenvolvimento na Cochlear.

1992 – Universidade de Geneva: Geneva Wearable Processor

A principal universidade da Suíça começa o desenvolvimento do seu processador compatível com o implante Ineraid.

1993 – Advanced Bionics: Clarion 1.0

Surge a Advanced Bionics e seu primeiro sistema de implantes.

1994 – AllHear: Processor OTH

O primeiro processador On The Head em uma peça única, que não fica preso à orelha. Precursor do Rondo e Kanso.

1994 – Cochlear: Nucleus Sprectra 22

A Cochlear, agora com mais de 10.000 implantados com seu sistema Nucleus 22, lança um novo upgrade do processador com novas estratégias de codificação de fala.

1994 – MED-EL: CIS PRO

O lançamento do sistema de implante COMBI 40, vem acompanhado do processador com CIS PRO.

1995 – MED-EL: CIS PRO+

São feitas algumas mudanças no CIS PRO e lançado um novo modelo.

1996 – Advanced Bionics: Clarion 1.2

A AB lança seu primeiro implante aprovado pela FDA. O primeiro processador com vários programas.

1997

20.000 implantados no mundo

1997 – Cochlear: Nucleus SPrint

Processador totalmente digital da Cochlear com possibilidade de trocar programas e fazer diversos ajustes.

1998 – Cochlear: Nucleus ESPrit

Cochlear lança o primeiro processador multicanal BTE, sem caixinha.

1999 – Advanced Bionics: Clarion S-Series

AB lança a versão mais compacta do Clarion.

1999 – MED-EL: TEMPO+

MED-EL diminui os componentes de seus processadores e também lança seu modelo BTE, com um design modular que pode ser utilizado em várias configurações.

2000 – Advanced Bionics: Platinum Series (PSP)

O PSP é uma versão modificada do S-Series.

2001 – Cochlear: Nucleus ESPrit 22

O quarto upgrade para usuários de Nucleus 22.

2001 – MXM-Neurelec: Digisonic BTE

A MXM lança seu primeiro processador BTE. O Digisonic futuramente passa ser vendido com a marca Neurelec, subsidiária da MXM Laboratories.

2002 – Advanced Bionics: Platinum BTE

AB lança seus primeiros modelos BTE. O Platinum BTE com suporte aos implantes Clarion.

2002 – Advanced Bionics: CII BTE

Em paralelo, é lançado o CII BTE com suporte ao implante CII.

2002 – Cochlear: Nucleus ESPrit 3G

Processador compatível com os implantes Nucleus 24 e Contour. Posteriormente um novo modelo foi lançado compatível com o Nucleus 22.

2003 – Advanced Bionics: Auria

AB lança processador para sistema HiRes, com microfone no gancho T-mic, como o Ineraid.

2004 – Neurelec: Digi SP

Processador BTE mais leve disponível na época. Primeiro processador Neurelec com porta de acessórios.

2004 – Neurelec: Digi SP’k

Processador similar ao Digi SP, mas com uma bateria remota para deixar o peça auricular mais leve.

2005

50.000 implantados no mundo

2005 – MED-EL: DUET

Baseado no TEMPO+, é o primeiro processador a combinar implante coclear com aparelho auditivo (EAS).

2005 – Cochlear: Nucleus Freedom

O primeiro processador resistente à água. Posteriormente foi lançado uma versão que combinava implante coclear com aparelho auditivo para uma audição híbrida.

2006 – Advanced Bionics: Harmony

Uma atualização do Auria para o sistema Harmony.

2006 – MED-EL: OPUS

MED-EL lança processador sem botões e com controle remoto, mantendo o conceito de design modular.

2009 – Cochlear: Nucleus 5

Processador com assistente remoto. Alguns anos depois é lançado o primeiro acessório hermético à prova d’água, uma capa plástica chamada Aqua.

2010 – Cochlear: Nucleus CP802

Processador da mesma geração do Nucleus 5, desenvolvido com uma proteção especial que cobre os microfones, para ser mais resistente em regiões de climas úmidos e com poeira.

2009 – MED-EL: DUET 2

A segunda geração do DUET, combinando IC e AASI.

2010 – Neurelec: Saphyr SP/CX (com micro contralateral)

Lançado processador com suporte a microfone contralateral para audição binaural, onde uma única antena é conectada a dois feixes de eletrodos.

2011 – Advanced Bionics: Neptune

Processador de som de caixinha totalmente à prova d’água. Primeiro processador lançado após a aquisição da Advanced Bionics pelo Grupo Sonova.

2011 – MED-EL: OPUS 2

Processador lançado como parte do sistema MAESTRO.

2013

324.000 implantados no mundo

2013 – Advanced Bionics: Naída CI Q70

Primeiro processador da linha Q Series é lançado.

2013 – Cochlear: Nucleus 6

O primeiro processador com conexão a acessórios verdadeiramente sem fio, sem a necessidade de cabos ou neckloops. Alguns anos depois é lançado o case à prova d’água Aqua+, também compatível com o Nucleus 5.

2013 – MED-EL: RONDO

MED-EL lança seu processador em uma peça única, que não fica preso à orelha. Possui capa plástica a prova d’água WaterWear.

2013 – Neurelec: Saphyr Neo

Possui suporte ao modo binaural.

2014 – MED-EL: SONNET

Processador lançado como parte do sistema SYNCHRONY. Possui capa plástica à prova d’água WaterWear.

2015 – Advanced Bionics: Naída CI Q Series

Para acompanhar o Naída Q70, a AB lança 2 outros processadores: Naída CI Q30 e Q90 com diferentes níveis tecnológicos. Possuem case à prova d’água AquaCase.

2016 – Oticon Medical: Neuro One

O grupo William Demant adquire a Neurelec e integra às operações à Oticon Medical. É lançado o primeiro processador de implante coclear sob a marca, com suporte às tecnologias dos aparelhos auditivos da Oticon.

2016 – Cochlear: Nucleus Kanso

Cochlear lança seu processador em uma peça única, que não fica preso à orelha com a mesma tecnologia do Nucleus 6, com suporte a acessórios sem fio. Possui um case à prova d’água.

2016 – Nurotron: Enduro

A chinesa Nurotron desenvolve seu primeiro processador que começa a ser comercializado em alguns poucos países, mas ainda sem aprovação da FDA.

2017

O que vem por aí:

2017 – Oticon Medical: Neuro Two

O segundo processador da Oticon Medical traz novidades para os usuários da marca como baterias recarregáveis, case à prova d’água e cabo da antena super resistente.

2017 – Cochlear: Nucleus 7

O primeiro processador de implante coclear com tecnologia Made for iPhone que permite transmitir o áudio de dispositivos Apple diretamente para o processador sem a necessidade de acessórios, controlar o processador por um aplicativo e localizar um Nucleus 7 perdido.

Se você souber de mais algum processador que não achou por aqui, entre em contato para que possamos complementar a tabela!

Beijinhos sonoros
Lak Lobato

13 palpites

  1. Nucleos SPrint da Cochlear,foi o primeiro k teve o meu filho

  2. Joaquim Barbosa disse:

    Lak, adorei essa publicação!!!
    Tinha justamente essa curiosidade…
    Muito show! Obrigado e parabéns!

  3. EU TAMBÉM TENHO CURIOSIDADE, COMPARTILHADÍSSIMO E OBRIGADA.

  4. PARABÉNS PELA PESQUISA, IMAGINO QUE DEU UM TRABALHÃO, DIVULGANDO NO bLOG E NA PÁGINA sULP COM UM LINK PARA O DNO. ADOREI….

  5. Solange Florencio disse:

    Ler esse post promove um encontro com sua própria história. Faço parte dessas estatísticas.

  6. Joan Zamora disse:

    Encuentro a faltar el implante coclear Viena y el implante coclear Ineraid, entre otros intentos. Concretamente el Viena es el precursor de una de las marcas actuales.

    — Português —
    Faltou o implante coclear de Viena e o implante coclear Ineraid, entre outras tentativas. Especificamente, Viena é o precursor de uma das marcas atuais.

    • Lak Lobato disse:

      Hola Joan. El procesador de la Universidad de Viena está en la lista. En realidad, él modelo no tenía nombre. Se llamaba simplemente “procesador de voz de uso corporal”. Los inventores de este implante fundaron MED-EL.

      El Ineraid también está en la lista, incluidos sus sucesores.

      — Português (tradução por DNO) —
      Oi Joan. O processador da Universidade de Viena está na lista. Na verdade, o modelo nem teve um nome. Ele era chamado simplesmente de “processador de voz de uso corporal”. Os inventores deste implante fundaram a MED-EL.

      O Ineraid também está lista, incluindo os seus sucessores.

    • Joan Zamora disse:

      Hola, el Viena (se le conoce por este nombre) es del 1977, 6 meses antes que el del Prof. Clark (en este momento no tengo los documentos a mano pero los tengo de que fue 6 meses antes del australiano) y no de 1980 (por eso lo encontre a faltar). El Laura no lo he encontrado. Y hay un prototipo español.

      — Português (tradução por DNO) —
      Oi, o Viena (se conhece por este nome) é de 1977, 6 meses antes que o do Prof. Clark (neste momento não tenho os documentos à Mão mas sei que foi 6 meses antes do australiano) e não de 1980 (por isso achei que faltava). O Laura não encontrei. E há um protótipo espanhol.

    • Lak Lobato disse:

      Oh, lo siento. Estamos hablando de diferentes procesadores de sonido. En 1977, el implante coclear de Viena aún no tenía un procesador de sonido portátil. Era una fase de investigación, por lo que tuvieron que conectar los pacientes a una computadora en el laboratorio. El primer procesador de sonido portátil de Viena fue desarrollado en 1979, pero no pude encontrar imágenes de él. El procesador de sonido de Viena de 1980 fue el primero comercialmente disponible justo antes de crearen MED-EL.
      No sabía de LAURA. Lo agregó ahora mismo.
      No pudimos encontrar nada sobre este prototipo español. Si tiene alguna fuente, por favor envíenos.
      Probablemente hay uno o otro prototipos poco conocidos desarrollado por empresas que existían durante un período muy corto.

      — Português —

      Oh, me desculpe. Estamos falando de diferentes processadores de som. O implante coclear de Viena de 1977 ainda não tinha um processador de som portátil. Era uma fase de pesquisa, então eles tinham que conectar os pacientes a um computador no laboratório. O primeiro processador de som portátil de Viena foi desenvolvido em 1979, mas não consegui encontrar imagens dele. O processador de som de Viena de 1980 foi o primeiro disponível comercialmente antes deles criarem a MED-EL.
      Eu não sabia sobre LAURA. Acabamos de adicionar. Não conseguimos encontrar nada sobre este protótipo espanhol. Se você tiver alguma fonte, nos envie.
      Provavelmente, existem alguns outros protótipos desconhecidos de empresas que existiram por um período muito curto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Emoticons Smile Grin Sad Surprised Shocked Cool Mad Razz Neutral Wink Red Face Cry Evil Twisted