Um ano de 22 estrelas sonoras

Acordei hoje e fazia um dia lindo, com o céu mais azul que se pode imaginar.

Senti uma espécie de ansiedade acima do normal e não sabia por que. Resolvi tomar um banho demorado, pois tinha acordado mais cedo que o necessário.

Finalmente, lembrei o motivo da ansiedade: hoje faz aniversário de 1 ano da minha segunda cirurgia de implante coclear, a que devolveu de verdade a minha capacidade de discriminar os sons.

Eu me lembro das minhas baixas expectativas. Lembro de ficar pensando, enquanto aguardava no pré cirúrgico “será que vale mesmo a pena passar por tudo de novo, sendo que já nem tenho memória auditiva boa o suficiente?”. Essas incertezas que a gente tem, quando nada nos garante o que esperar, são só possibilidades…

Lembro de ser acordada pela médica ainda na sala de cirurgia, que me avisou que tinham conseguido inserir os 22 eletrodos tranquilamente. E depois acordar de novo no pós operatório e não saber se teria sido um sonho. E só ter a confirmação por minha mãe, quando já tinha chegado no quarto. Lembro de cair no choro, porque melhor que ninguém sei que eletrodos a menos podem fazer uma diferença grande e a enfermeira entrar no quarto achando que eu estava passando mal e, ao saber que eram lágrimas de alegria, começar a chorar junto comigo. Lembro de estar de pé 15 minutos depois de voltar ao quarto e postar a foto no facebook, pegando todo mundo de surpresa, porque não tinha avisado ninguém da data. Lembro de receber flores e alfajores do Raul, meu irmãozinho…

E lembro de cada um dos 365 dias que se passaram desde então. Da ansiedade dos 30 dias até a ativação – que eu tenho certeza que foram décadas, porque demorou demais hahaha -, dos primeiros dias me adaptando ao segundo IC, que era bem diferente do primeiro…

E de cada uma das conquistas que vieram desde então.

Entender palavras e frases inteiras sem precisar da leitura labial.

Escutar uma música entendendo a letra.

Conversar ao telefone com pessoas a 450km de distância ou ali na esquina. Conversas longas e pequenas. Poder desbloquear o cartão de crédito e marcar uma consulta. Que liberdade!

Entender o que dizem no alto falante das lojas e do aeroporto.

Ouvir a conversa alheia ou quando simplesmente me chamam.

Poder ir ao teatro ou assistir desenho animado sem legenda.

Ter um controle cada vez melhor da minha voz, a ponto de poder dar uma entrevista na rádio ou gravar um vídeo para o TEDx Vila Madá. E ouvir cada vez mais elogios a respeito do tímbre e do sotaque (inclusive, teve quem dissesse que meu sotaque é lindo e que deveria mantê-lo porque é um charme).

Conseguir reconhecer os idiomas que eu falo, rapidamente, mesmo quando não entendo o conteúdo da conversa de imediato. Mas reconheço bem o inglês, o francês e o espanhol.

É uma sensação inexplicável de olhar para o mundo e ver possibilidades e não barreiras. É saber que ele é imenso, mas tenho as armas necessárias para explorá-lo sem medos e receios.

As pessoas que acham a surdez poética, que me perdoem. Não existe nada mais poético nesse mundo que poder ouvir e se deliciar com cada deslumbramento sonoro.

Sei que nem todo mundo tem a possibilidade de fazer o implante coclear. Mas,a verdade é que esse talento de amar ouvir não vem com ele, isso é meu! Afinal, são tantas as pessoas ouvintes biológicas que não veem nada demais no barulho do vendo, do risoto suspirando, da respiração da pessoa amada bem pertinho do seu ouvido. Amar tudo isso de maneira inspiradora não tem nada a ver com utilizar o implante coclear, é algo pessoal. Mas, ainda assim, só tenho a possibilidade de viver tudo isso por causa dele, então, minha declaração de amor mais sincera por essa tecnologia! Para quem tem a alma transbordante de poesia sonora como a minha, certamente o IC vale a pena!

Beijinhos sonoros,

Lak

16 palpites

  1. soramires disse:

    Lak, que bom ler isso logo cedo, ando meio jururu, dodói e tomo um banho de energia e vitalidade com seus relatos. Uma alegria imensa acompanhar esse caminho em direção ao som, à música, ao barulho, às vozes. Feliz aniversário com 22 eletrodos e o mundo todo pela frente. 😛

  2. Obrigado, Lak, por compartilhar conosco este 1 ano de sons e sensações!

  3. Núbia disse:

    Esqueceu de mencionar o som da abertura do refrigerante! 😛

  4. Andrea disse:

    Lak,
    Parabéns!
    E que venham outros vários anos de deslumbramentos sonoros.
    Beijos.

  5. Cristiane disse:

    Lindo depoimento, Lak!
    Incrível como as suas descrições sonoras nos inspira ao ponto de aguçar todos os nossos órgãos do sentido, tornando o mundo mais vivo, sonoro, mais cheio de cor, sabor, cheiro e valor! 😉 😉 😉

  6. Sun disse:

    Parabéns Lak por 1 ano maravilhosamente concebido através do Bilateral, tenho a certeza de que com este novo ouvido vibrou como nunca, encantou como nunca, chorou como nunca, sorriu que nem criança ao receber um brinquedo de graça e lhe devolveu a absoluta liberdade e independência diante de sonhos agora possíveis em serem concretizados. Já não conseguimos jamais imaginar a nossa vida sem ele! Sorrio para mim mesma saber que a Lak está super feliz com este renascimento. Parabéns que estas estrelas sonoras possam ejectar mais poesia aos ouvidos de quem não escuta mas quer de igual forma passar por esta experiência.

    Assim que 2014 vier, tudo muda.

    Beijinhos sonoros! 🙂

  7. Camila Rabelo disse:

    Muito Interessante esse post.
    Uso aparelhos auditivos desse os 2 anos, estou com 25 anos, tenho a perda bilateral servera e profunda.
    Achava que não preciso usar o I.C., pq escuto com aparelhos auditivos. Pelo visto vou ter que pesquisar e pensar mais sobre.
    Pois após ler, vi que tem coisas que não consegui conquistar, como:
    – Entender frases sem o uso de aparelho auditivos, mas consigo escutar no telefone, talvez seja vício msm, ao saber que a pessoa está ao meu lado, quero ler os lábios. 😛 Se eu conheço a pessoa há um tempo, e estou habituada com a sua voz, consigo entender sem ler os lábios.
    – Som no autofalante, sem chances, sai muito distorcida.
    – Teatro não vou pq só entendo uma palavra ou outra… mas é gostoso de ouvir o público rindo… mas de tanto rirem, daqui a um tempo fico triste pq quero entender! pois todos estão rindo e acabo me sentindo a única q n ta entendendo.

    Quando me chamam eu escuto. Às vezes não de primeira qd estou muito concentrada em algo.

    Queria te perguntar uma coisa… Quando está em um restaurante, bar, local com barulho, com amigos… vc consegue entender a conversa? Pois muitas vezes fico boiando.

    Fico muito feliz pelas suas conquistas! Que venham muito mais!!! =D

    • laklobato disse:

      Camila, cada caso é um caso. Mas, em alguns casos, realmente o IC supera bastante o AASI, especialmente em termos de compreensão da fala. Claro que não é garantido para todo mundo, mas…
      Então, em ambiente ruidoso, eu tenho a mesma compreensão de ouvintes: existe um limite. Mas, me saio muito bem em locais onde os ouvintes tb se saem bem. Por outro lado, eu só consegui isso – separar sons ambientes da voz – com 2 ICs. De um lado só (sei pq já fiquei com 1 só, do lado bom, em momentos em que acabou a pilha) não dá para fazer a separação de som ambiente e voz.
      Mas, claro, eu preciso que a pessoa esteja perto de mim ou que ela esteja falando num microfone, algo assim. Se forem 2 pessoas falando juntas no mesmo volume já complica haha
      Enfim, respondi sua pergunta?
      Beijos

  8. suely disse:

    Olá Lak!
    Estava precisando mesmo de uma injeção de ânimo e ler seus posts tem me ajudado muito, eu também vou para a minha segunda cirurgia de timpanomastoidectomia (depois de inúmeras falhas dos otorrinos com relação ao tipo de perda, chegaram a conclusão que o único implante que me beneficia é o BAHA e não o COCLEAR) e a timpanoplastia. Gostaria de saber como funciona esta questão dos implantes, os convênios autorizam só o COCLEAR ou BAHA.Ao usar o implante o que o usuário tem que custear que o convênio não cobre? Eu tenho um convênio há 6 anos e nem as cirurgias acima citadas eles querem faze-las…entrei com um pedido judicial para realizá-las, imagino então quando eu solicitar o implante…Pretendo mudar de plano ao realizar a cirurgia, mas me disseram que fica como doença “pré-existente” e será impossível liberação do implante por menos de 2 anos.Se você puder me informar algo que sabe sobre o implante eu agradeço, e desde já fico feliz pela sua vitória, afinal: admiro-a muito!

  9. Adriani disse:

    Oi Lak!Sou tua nova admiradora.Lendo teus relatos,me senti muito feliz e na certeza de que quando eu fizer o meu segundo Ic,me sentirei plena e completa.Ativei meu primeiro Ic há 40 dias.estou muito feliz,cada dia um novo desafio.sou oralizada.Voce é um exemplo de superação e coragem,que nos inspira a nunca desistirmos.Parabéns querida,e muitos felizes momentos sonoros a vc.Abraço; 😯 😀
    Adriani