Um dia de domingo

Domingo é dia santo (embora eu ache que sagrada mesma é a sexta-feira, mas quem sou eu pra determinar isso?) e ontem foi um dia realmente especial.

Comecei o dia indo almoçar com o Raul. Quem lê o blog desde o comecinho, já deve estar familiarizado com essa criatura importantíssima na minha vida. Ele foi, junto com Anahi, a pessoa que me obrigou a fazer o Implante Coclear. Digo, obrigou porque me fazia morrer de inveja com as histórias e conquistas dele como implantado.  E não tem nada melhor do que você ser exemplo pra alguém que, logo depois, está se aventurando pelos mesmos caminhos que você e comparilhando essa felicidade.

E papo de implantado é papo de implantado. Muito da conversa gira em torno do implante, do aparelho auditivo, da audição. Ele contou como é pra ele agora, 5 anos depois do implante e quais são as coisas que possivelmente me aguardam. Foi uma sensação mágica de expectativas promissoras, de alegrias que a vida tinha me tirado e agora, a tecnologia me possibilita (plagiando a Sun Melody, do blog Ouvido Biônico).

No sentido horário: Marcelo, Raul, Dario, eu e Branco.... Edu, pra variar, não foi. Acordar cedo (tipo meio-dia) de domingo, não é com ele não hihihi

No sentido horário: Marcelo, Raul, Dario, eu e Branco…. Edu, pra variar, não foi. Acordar cedo (tipo meio-dia) de domingo, não é com ele não hihihi

Depois do almoço, quando cheguei em casa (foi à pé) esbarrei com um cara que estudou comigo lá pela 6ª, 7ª série que, coincidentemente, hoje é meu vizinho. Ele puxou papo comigo e ficamos conversando – até hoje, só tínhamos trocando um oi no elevador – por uns 5 minutos. Perguntei dos irmãos dele (sabia que ele tinha um irmão com deficiência, mas não sabia detalhes sobre a deficiência dele) e ele comentou que o irmão dele também é surdo, mas sinalizado. Nisso, comentei que eu tinha feito o Implante Coclear – porque eu, bobinha, achei que pelo fato dele ter um irmão surdo, ele já teria ouvido falar disso – e mostrei o aparelho e a antena. Ah, mas pra quê? Ele me olha com cara de horrorizado e pergunta: “Como isso fica preso na sua cabeça?”.

Gente, eu sou uma pessoa (que tenta ser) legal e respondi que era  um imã, que tenho outro imã colocado cirurgicamente dentro da cabeça. Que o aparelho capta o som e manda via ondas de rádio, pra dentro da cabeça, onde estimulam eletricamente alguns eletrodos que enviam o som diretamente pro nervo auditivo. Mas confesso que deu vontade de dar uma resposta irônica tipo:

  • “Ah, fizeram um buraco e parafusaram na minha cabeça. Sempre tive parafuso frouxo, agora deram um apertada” ou
  • “Grudaram com chiclete, o problema é que agora não consigo tirar…” hihihi

Mas o melhor do domingo veio depois. Como todo mundo me cobra sugere que eu ouça música pra ser uma pessoa normal estimular a audição, pedi pro Edu colocar algumas músicas (a critério dele, já que não tenho nenhum) no iPod pra eu trazer pro trabalho.

À noite, fiquei 1 hora ouvindo algumas músicas e tal, aprendendo a usar o iPod pra isso… Até aí, nada demais, ainda estou reaprendendo a ouvir, música é apenas parte integrante desse aprendizado.

Mas sabe, logo que eu fiquei surda, ainda tinha ousadia pra dançar (hoje em dia, já não tenho muita) e, pra poder ter uma referência, imaginava alguma música específica mais ou menos no ritmo que eu supunha que fosse similar a que eu dançava. Por exemplo, para dançar música rapida, dessas que a gente dança sozinho, imaginava uma música da Madonna “Papa don’t preach”. Depois de um tempo, infelizmente, fui perdendo o hábito e essa música caiu no esquecimento.

Ontem, enquanto eu ouvia as músicas sugeridas pelo Edu e fuçava na lista, para ver se conhecia alguma,  deparei-me com “Papa don’t Preach”. Resolvi ouvir só de farra, porque não costumo assimilar música muito bem ainda. Bom, começa  a tocar…

Geralmente, diante de alguma novidade, eu fico emocionada. Meus olhos enchem d’água, eu dou uma risadinha abobada e coisa assim. Mas ouvir “Papa Don’t Preach” a reação não foi meramente emocional, foi física. Senti o corpo inteiro arrepiar, o coração disparar e, claro, os olhos marejarem… Ainda não separo a voz da Madonna da melodia, mas já valeu a pena mesmo assim.

Pra quem é fã, pra quem curte ler o blog e até pra quem não conhece, senhoras e senhores: Papa don’t preach!

Beijinhos dançantes,

Lak

p.s. e eu, aqui fofinha querendo escrever “enquanto escrevo o post, ouço não-sei-qual-música no iPod”. Mas não pude, porque acabei com  a bateria já hihi (e esqueci o cabo do carregador em casa!!)

24 palpites

  1. Roseli disse:

    Tô vendo que vc era surda, mas cega……nunca né?
    Tá bem acomapanhada na foto!!!
    Quem precisa ouvir com um visual desses??? rs rs rs
    beijos

    • laklobato disse:

      Hahahaahahahahaha
      Ouvir sempre é absolutamente necessário, inclusive nessas horas! O que tem de mais delicioso nesse mundo do que a voz das pessoas queridas. Surdez não tem NADA de vantajoso!
      Mas claro que um colirio sempre faz bem aos olhos.

  2. Flávia disse:

    Que legal Lak….adoro essa música! Estou muito feliz por todas as suas conquistas que venho acompanhando aqui no Blog. Um beijo grande para você! 😉

  3. fabiana disse:

    😳 Lak algumas músicas tem o dom de mexer comigo da mesma forma. “Viajo” no tempo e me arrepio inteira, mesmo sem dançar. Amo música ! Se eu não te conhecesse, talvez fizesse a mesma cara desse seu amigo: “Como isso fica grudado na sua cabeça? Rsss a gente ri e se irrita, porque sabe como funciona, mas pra um leigo, deve ser estranho mesmo. Bjss

  4. Renata disse:

    Madonna é uma delícia, ir no show dela foi um dos meus melhores investimentos… Pena que ela não cantou Like a virgin :/

  5. Jose Guilherme disse:

    Pelo jeito eu vou ser o último ser do planeta a usar um iPod… e vc pelo jeito gosta de música anos 80 !! 🙂

  6. Aline disse:

    Lak, que saudade desse moço!!!! Meu muso continua lindo, rsrsrsrsrsrs. Esse papo deve ter sido mega legal!!!!!
    PS. Quando leio vc contar das suas aventuras auditivas, eu choro tanto… fico a pensar se é assim q também acontece com o Bê, apesar de saber q são experiências completamente diferentes, e fico a ver como deixamos passar e brancas nuvens os sons que ouvimos diariamente. Lembro de uma vez em uma sessão de fono que o Bê encostou o ouvidinho dele no tablado de madeira para sentir o som …
    Bjs

    • laklobato disse:

      Ele continua lindo, mas não falemos muito, porque senão ele fica mais convencido do que já é…. huahauhauahuahahuahahau
      Acho que com o Bê, rola como uma criança ouvinte mesmo. É natural e, provavelmente, muita coisa passa despercebida! Mas essa é a maior das vantagens dele!!
      Beijos

  7. Juca disse:

    qdo li o título que vc deu eu lembrei do Tim Maia!! rs

    http://www.youtube.com/watch?v=hBmD7YnD-qE

    (mas a Madona do Who’s that girl é mais nostálgico mesmo, Lak! hehe)

    beijos beijos!!

    • laklobato disse:

      Hahaha aleluia alguém reconheceu a música!!
      Era minha música com meu ex 😛
      Mas, realmente gosto dela, daí o título do post (que o Edu não leia esse comentário!)
      Obrigada pelo video.
      beijos

  8. Dri disse:

    Estou com a Roseli! Você estava muito bem acompanhada! Essa foto aí funcionou como colírio para os olhos nesta terça-feira cinzenta! A música tem esse poder em mim: voltar no tempo, reviver emoções, acolher, confortar… Pelo jeito, suas (re)descobertas no mundo musical estão só começando. Que ele te ofereça grandes alegrias e belas emoções. Beijo.

    • laklobato disse:

      Aff, gente, eu sou casada… Não fica bem concordar com vocês huahauhuahauahua
      Agora tô aqui ouvindo musicas nacionais… Ainda prefiro a Madonna hihihi
      Beijos

  9. Jairo Marques disse:

    Ai Lak… agora vou ficar com a música na cabeça o dia inteiro ahahahha… Papa don’t preach, I’m in trouble deep… Papa don’t preach I’ve been losing sleep … O resto num canto porque ficaria muito biba ahahahahhahah… beijos

  10. Ana Paula disse:

    Que delícia ler isso! 😎
    Praticamente uma redescoberta! E deve ter coisas que vc por mais que se esforce não consegue passar para palavras pra publicar aqui.
    Estou assim agora. Não sei nem o que dizer. É uma redescoberta que somente quem passa por isso sabe explicar melhor com palavras.
    E toma a grávida começando a chorar. rsrsrs!

    bj!bj!bj! Que a deusa Lakshmi te conserve assim! Com saude, prosperidade,iluminada e generosa.

  11. Ana Paula disse:

    Ainda vou ao Brasil com a Michelle pra gente dançar com a Lak a musica Papa Don’t Preach 😉

  12. Thjago disse:

    Oi, Lak! (fazendo o íntimo haha)

    Então, já leio seu blog há algum tempinho, desde antes de você fazer o implante.
    Aprendi MUITO com seu blog, muito mesmo. Agradeço infinitas vezes por tê-lo descoberto.

    Porém, nunca comentei aqui, não sei bem o porquê.

    Hoje, inspirado pela Madonna (sou muito fã haha), tomei coragem e resolvi fazer esse singelo comentário, agradecendo por você ter mudado de verdade minha vida.

    OBRIGADO 😀

    • laklobato disse:

      Hahahah quem lê meu blog, já virou amigo íntimo mesmo, fica tranquilo!
      Bom saber que, mesmo caladinhos, tenho leitores que realmente gostam do blog.
      Claro que eu gosto quando comentam, porque aí, compartilhamos os seus pensamentos também… Mas não é obrigação, lógico. De qualquer forma, adorei o comentário… Fã da Madonna? Somos dois!!
      Beijos