Viajando com o Implante Coclear

Aproveitando o comecinho das férias de julho, quando muita gente aproveita para viajar, que tal algumas dicas para quem precisa de um espacinho extra na bagagem para comportar as necessidades do implante coclear.

Afinal, implantado que se preza sempre carrega consigo meia dúzia de apetrechos para não ficar na mão durante a viagem. Aí vem a dúvida: o que levar?

Bem, é claro que minhas dicas são apenas dicas e vai muito do critério de cada um. Apenas para facilitar para os marinheiros de primeira viagem…

Se a viagem é curta ou longa, não importa, na minha bagagem sempre vai alguns itens de “sobrevivência”, que me garantem o bom funcionamento do IC por todo o tempo que eu permanecer longe de casa. Não é nada demais, mas que me dão segurança e tranquilidade, para ouvir maravilhosamente por onde e enquanto eu estiver viajando.


Primeiro item indispensável: bateria. Se a viagem é curta, levo apenas pilhas descartáveis. O carregador de bateria recarregável ocupa mais espaço na mala que dois blisters de pilha.


Carregador de bateria recarregável/bateria extra. Já, se a viagem for mais longa (leia-se: mais de 4 dias), daí o recarregador vai junto. Por ser bilateral, tenho 2 carregadores. Um que fica em casa e outro específico pra viagens. Como tenho 2 baterias para cada lado, essas baterias extras entram na bagagem.  Obviamente, isso depende de você ter essa possibilidade.


Peças sobressalentes. Se a viagem for longa, eu costumo levar pelo menos um cabo de antena a mais comigo. Embora raramente eu costume trocar meus cabos, prefiro ter um sobressalente à mão, do que correr o risco de ficar sem ouvir durante a viagem. O mesmo vale para antena extra (se você tiver, claro.).


Gancho para prática de esportes. Suponha que você esteja indo fazer alguma viagem de aventura, levar um daqueles ganchos que prende melhor o aparelho na orelha também pode ser bastante útil.


Desumidificador**: sim, meu IC não sabe viver sem esse item, então há duas possibilidades de desumidificadores que eu costumo levar na viagem, conforme a durabilidade dela e local aonde vou. Se a viagem for curta, eu levo um case com fecho hermético, próprio de proteger celular na água, com uma capsula de silíca gel no interior. E coloco os aparelhos externos do IC a noite toda lá. Se a viagem for mais longa, levo meu desumidificador elétrico. E uma capsula (ou saquinho) de silica extra, fechadinho e aguardando para ser usado.
**A menos que eu esteja indo para a praia. Nesse caso, por causa da maresia, eu costumo levar o desumidificador elétrico mesmo que seja para ficar 1 dia.


Adaptador de tomada. Você vai fazer uma viagem internacional? Então, verifique pela internet qual o tipo de tomada do país em questão. Alguns modelo de carregador tem várias opções de plug de tomada para você trocar conforme o tipo de tomada. Outros não tem e você precisa de um adaptador complementar. Mas, seja como for, é melhor já ir com essa opção na bagagem, do que já chegar tendo que procurar esse item para comprar no destino. Vai saber se você não precisa do desumidificador urgentemente?


Cabos e acessórios para ouvir música: seja qual for a opção que você usa (cabo de áudio, Sistema FM/roger ou Wireless), se você consegue e gosta de ouvir música, leve este item com você, do contrário fará falta durante a viagem, pode apostar.


Controle remoto. Não são todos os modelos que tem, mas caso o seu tenha, leve! Pode ser útil durante a viagem. Seja para mudar de programação, mexer no volume ou conectar algum acessório, é o tipo de item indispensável na bagagem!


Case de proteção à água (caso seu modelo tenha). E sempre seguindo as regras do fabricante, por favor! Leia mais sobre esse item, no post Usando (ou não) o IC na praia ou piscina.


Contato de emergência da equipe que atende meu caso de IC, pode ser bastante útil. Qualquer doença de ouvido que eu possa vir a ter, que me mande para o hospital, pode ser complicado de tratar por algum otorrino de plantão que não conheça sobre o implante coclear (acredito que seja raro, mas existe). Nesse caso, o contato com a equipe especializada pode fazer a diferença.


Carteirinha de implantado/Laudo médico dependendo de aonde você for, ter um documento em mãos que comprove o uso de um dispositivo médico implant[avel  pode ser útil. Especialmente se você tiver que passar em detectores de metal. Se a viagem for internacional, o ideal é que a documentação seja em inglês (de preferência juramentada). Eu levo só a carteirinha e, pelo menos na Europa e na América Latina (Argentina, Chile, Peru, Panamá) nunca tive problemas.


Caso a viagem seja de avião, lembre-se de levar todos os itens nabagagem de mão (parece muita coisa, mas na prática são itens pequenos e cabem tudo numa necessaire tamanho médio) e por via de regras, não passe no detector de metais, apresente a carteirinha de implantado. O Scaner, por outro lado, que vários aeroportos internacionais já utilizam, não afeta o implante coclear e pode ser usado normalmente.

Boa viagem, pessoal!

Beijinhos sonoros,
Lak Lobato

Este post foi originalmente publicado em e foi completamente reescrito com informações atualizadas.

4 palpites

  1. To saindo de férias hoje! Meu check-list bateu com o seu! Fiz o dever de casa direitinho…
    É mais um detalhe: vai tudinho na bolsa de mão, sob os meus cuidados, não despacho em hipótese alguma!
    😘

  2. Ita Estela Awensztern disse:

    Oi Lak boas estas dicas.Passei por um grande dissabor por ocasião de uma viagem que fiz logo que ativei o implante.Recebi aquela maleta com tudo o que nunca tinha visto.
    É o pior fui mal orientada e nem o manual tinha na maleta.eu N sabia o nome de nada.Fui pra Orlando é assim que cheguei o implante N funcionava e eu N sabia nada sobre ele. Fiquei sem usar …tinha o AASI na orelha direita e quando retornei liguei para a fono da UNICAMP e não havia horário pra mim e nem encaixe.Precisei esperar minha consulta que já estava marcada depois de dois meses.Quando chegou o dia compareci e a fono pegou o processador e disse N é nada só um encaixe!!. Vc acredita uma coisa dessas?Nunca mais tive problemas Pq estou sempre c o manual e uma amiga muito querida que me ajuda sempre que preciso.Deborah mãe do Alexandre que usa Medel igual ao meu.Foi um anjo na minha vida !!

    • Lak Lobato disse:

      Eita, que horror! 🙁 imagina que chato passar o resto da viagem sem o IC? Nem gostei de pensar nisso!! Mas que vom que a Deborah te ajuda tanto!! Ela é um docinho mesmo! Beijos